Desistir de Lula é aceitar o golpe | Por Alberto Peixoto

Lula Livre é referência para luta política da classe trabalhadora.

Lula Livre é referência para luta política da classe trabalhadora.

Com a prisão injusta do Ex-presidente Lula, uma boa parte da imprensa e dos partidos de esquerda, critica o PT por não ter um plano “B”, caso Lula não possa concorrer às próximas eleições para Presidente da República.

Desistir de Lula é aceitar o golpe. Acho que ainda não é, no mínimo, o momento de divulgar outro plano que não seja Lula livre e Presidente. Qualquer que seja outro plano, só deve ser anunciado quando não houver mais nenhuma chance da candidatura Lula ser uma realidade.

Desistir de Lula é dividir a esquerda e o momento não cabe isso. A ocasião pede alianças; união da esquerda e de todos os que se sentem prejudicados com as medidas descabidas de um presidente golpista, ladrão, incompetente, fascista e pode-se até dizer nazista, diante do alto nível de famílias que estão passando por dificuldades e com um índice de desemprego alarmante.

A única forma de tirar o Brasil desta situação insana, com combustíveis a preços nunca praticados neste país, o custo de vida cada vez mais elevado, é não desistindo de Lula; é não desistindo do Brasil. Sequer pode se ver uma “réstia” de luz no fim do túnel com esta quadrilha que se instalou em Brasília.

Desistir de Lula é realizar o sonho dos coxinhas e da direita corrupta, tirânica, autoritária, apoiadores do regime militar que já foi visto neste País, com o golpe de 1964, mais uma vez arquitetado e tendo como maestrina a Rede Globo.

Esta é a hora da união de todos que pretendem ver um Brasil – com “S” – forte, livre das mazelas impostas pela atual “Ditadura Branca”; livre desta corja de corruptos e corruptores que usam o dinheiro do erário para comprar o que querem; que entregam o patrimônio do País a preço de “banana” para seus comparsas, tanto aqui como no exterior. Não podemos desistir do principal objetivo da maioria esmagadora dos brasileiros, que é: Lula livre e Presidente.

“Se eu aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime. Não cometi nenhum crime.  Por isso sou candidato até que a verdade apareça e que a mídia, juízes e procuradores mostrem o crime que cometi ou parem de mentir. O povo merece respeito”, escreveu Lula.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.