Eleições 2018 – Bahia: Disputa por vaga ao Senado Federal em chapa liderada por Rui Costa provoca cisão

Domingos Leonelli lembra passado carlista do senador Otto Alencar, o que enseja vínculos com o autoritarismo e com o pensamento conservador e reacionário.

Domingos Leonelli lembra passado carlista do senador Otto Alencar, o que enseja vínculos com o autoritarismo e com o pensamento conservador e reacionário.

A disputada travada entre o PSB Bahia, partido liderada pela senadora Lídice da Mata e o PSD Bahia, partido presidido pelo senador Otto Alencar, gerou cisma na chapa governista liderada por Rui Costa (PT).

Até o momento, objetivando disputar as eleições de 2018, a chapa governista é formada pelo governador Rui Costa e o vice-governador João Leão (PP), ambos reafirmaram a disposição em lançar pré-candidaturas à reeleição. Na composição, o nome do ex-governador Jaques Wagner (PT) foi confirmado para disputar uma vaga ao senado.

Ocorre que a senadora Lídice da Mata pleiteia a reeleição na chapa governista. Neste aspecto, contou com o óbice do aliado de Rui Costa, senador Otto Alecar (PSD), que deseja ter o liderado político deputado estadual Angelo Coronel (PSD), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), como candidato ao senado, no lugar da socialista.

Defendendo o campo progressista, o PCdoB da Bahia demonstrou apoio à Lídice da Mata evitando enviar representantes ao encontro com o governador Rui Costa, cuja pretensão é aceitar Angelo Coronel na disputa pelo senado.

Além da disputa estadual, o PSB nacional fechou questão a favor de Lídice da Mata e apenas aceita negociar uma aliança nacional, em chapa liderada pelo PT para presidência da República, se a socialista tiver garantido o direito à reeleição.

No contexto, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, firmou aliança com Geraldo Alckmin (PSDB/SP) para presidente da República, afastando a legenda da influência nacional dos petistas. A este contexto, soma-se o fato do ex-ministro e ex-prefeito Gilberto Kassab ter sido apontando em delação do Grupo de Odebrecht como beneficiário de esquema de corrupção, no período em que atuou como prefeito.

A disputa de poder envolvendo PT, PSB, PCdoB e o PSD da Bahia provocou acirramento verbal. O ex-deputado federal e secretário-geral do PSB da Bahia, Domingos Leonelli, disse nesta quarta-feira (20/06/2018), que reitera as afirmações que fez sobre a hegemonia do senador Otto Alencar (PSD) no Governo Rui, “não só pelos cargos no governo e na política, mas também pela imposição do nome de Angelo Coronel na chapa majoritária, um pré-candidato com apenas 3% de intenção de voto, em lugar da legítima candidatura à reeleição da senadora Lídice da Mata”.

O socialista negou “peremptoriamente” que tenha desferido qualquer ataque ou agressão ao senador Otto. “Nunca dirigi nenhuma palavra ofensiva, apenas referi-me à sua origem carlista, que é reafirmada pelo próprio senador. Ele é que foi grosseiro ao dizer que falei bobagem, mas se fosse bobagem,  ele não teria se dado ao trabalho de responder”, finalizou.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]