Eleições 2018 – Bahia: Disputa por vaga ao Senado Federal em chapa liderada por Rui Costa provoca cisão

Domingos Leonelli lembra passado carlista do senador Otto Alencar, o que enseja vínculos com o autoritarismo e com o pensamento conservador e reacionário.

Domingos Leonelli lembra passado carlista do senador Otto Alencar, o que enseja vínculos com o autoritarismo e com o pensamento conservador e reacionário.

A disputada travada entre o PSB Bahia, partido liderada pela senadora Lídice da Mata e o PSD Bahia, partido presidido pelo senador Otto Alencar, gerou cisma na chapa governista liderada por Rui Costa (PT).

Até o momento, objetivando disputar as eleições de 2018, a chapa governista é formada pelo governador Rui Costa e o vice-governador João Leão (PP), ambos reafirmaram a disposição em lançar pré-candidaturas à reeleição. Na composição, o nome do ex-governador Jaques Wagner (PT) foi confirmado para disputar uma vaga ao senado.

Ocorre que a senadora Lídice da Mata pleiteia a reeleição na chapa governista. Neste aspecto, contou com o óbice do aliado de Rui Costa, senador Otto Alecar (PSD), que deseja ter o liderado político deputado estadual Angelo Coronel (PSD), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), como candidato ao senado, no lugar da socialista.

Defendendo o campo progressista, o PCdoB da Bahia demonstrou apoio à Lídice da Mata evitando enviar representantes ao encontro com o governador Rui Costa, cuja pretensão é aceitar Angelo Coronel na disputa pelo senado.

Além da disputa estadual, o PSB nacional fechou questão a favor de Lídice da Mata e apenas aceita negociar uma aliança nacional, em chapa liderada pelo PT para presidência da República, se a socialista tiver garantido o direito à reeleição.

No contexto, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, firmou aliança com Geraldo Alckmin (PSDB/SP) para presidente da República, afastando a legenda da influência nacional dos petistas. A este contexto, soma-se o fato do ex-ministro e ex-prefeito Gilberto Kassab ter sido apontando em delação do Grupo de Odebrecht como beneficiário de esquema de corrupção, no período em que atuou como prefeito.

A disputa de poder envolvendo PT, PSB, PCdoB e o PSD da Bahia provocou acirramento verbal. O ex-deputado federal e secretário-geral do PSB da Bahia, Domingos Leonelli, disse nesta quarta-feira (20/06/2018), que reitera as afirmações que fez sobre a hegemonia do senador Otto Alencar (PSD) no Governo Rui, “não só pelos cargos no governo e na política, mas também pela imposição do nome de Angelo Coronel na chapa majoritária, um pré-candidato com apenas 3% de intenção de voto, em lugar da legítima candidatura à reeleição da senadora Lídice da Mata”.

O socialista negou “peremptoriamente” que tenha desferido qualquer ataque ou agressão ao senador Otto. “Nunca dirigi nenhuma palavra ofensiva, apenas referi-me à sua origem carlista, que é reafirmada pelo próprio senador. Ele é que foi grosseiro ao dizer que falei bobagem, mas se fosse bobagem,  ele não teria se dado ao trabalho de responder”, finalizou.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).