Implantação do BRT esquenta debate entre oposição e situação na Câmara Municipal de Salvador

Câmara Municipal de Salvador debateu implantação do sistema de transporte público baseado no BRT. Projeto foi encaminhado pelo prefeito ACM Neto.

Câmara Municipal de Salvador debateu implantação do sistema de transporte público baseado no BRT. Projeto foi encaminhado pelo prefeito ACM Neto.

O debate sobre polêmico projeto do BRT de Salvador dividiu opiniões na Super Terça da sessão ordinária desta terça-feira (22/05/2018), no Plenário Cosme de Farias. Vereadores da oposição e situação argumentaram sobre a proposta da prefeitura para a cidade. Alexandre Aleluia (DEM) e Téo Senna (PHS) fizeram a defesa. Aladilce Souza (PCdoB) e Marta Rodrigues (PT) criticaram.

As questões ambientais e a falta de diálogo com os cidadãos foram questionadas pelas oposicionistas. Segundo a vereadora Aladilce Souza, o próprio relatório da prefeitura sobre o projeto, na página 45, comprova que não há viabilidade para a execução do BRT. “Não existe projeto base e, portanto, não há condição para autorização e liberação de recursos. É um verdadeiro crime ambiental destruir 549 árvores e tamponar três rios. Esse projeto está na contramão de todo o mundo”, argumentou.

Na mesma linha, Marta Rodrigues cobrou a união entre oposição e situação para encontrar a melhor solução para a cidade. “O prefeito está ignorando a opinião popular para esse projeto superestimado. A concepção do BRT não dialoga com as necessidades e com a viabilidade operacional”, criticou.

“Política da melancia”

Um dos escalados pela bancada governista para fazer a defesa da proposta, Alexandre Aleluia questionou a legitimidade das bancadas do PCdoB, PT e PSOL para criticar a proposta. Para o legislador, o posicionamento da bancada da oposição não tem nenhuma base técnica.

“A defesa do verde, do meio ambiente, é só uma desculpa de quem não quer o melhor para a cidade. Fazem a política da melancia. Verdes por fora, mas demostram que são vermelhos PT por dentro. Quem estuda o projeto vê que a destruição de árvores, os valores que questionam não passam de mentiras e falácia. O BRT é um projeto que melhorará a vida das pessoas”, defendeu.

O vereador Téo Senna preparou um dossiê para discutir o BRT e também provocou os oposicionistas. Lembrou de obras do Governo do Estado, que, segundo ele, agrediram o meio ambiente. “Onde estavam quando derrubaram árvores para a construção do metrô? Onde estavam quando destruíram o meio ambiente para fazer a Avenida 29 de março, colocando concreto no Rio Jaguaribe?”, questionou.

Governista, mas ambientalista

Após os comentários dos quatro escalados para discutir o tema, os outros vereadores também puderam debater, segundo acordo estabelecido entre os líderes de bancadas e o presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Leo Prates (DEM).

Chamou a atenção o posicionamento da vereadora Ana Rita Tavares (PMB). Governista, mas ambientalista. A parte verde da legisladora pesou mais. “O prefeito ACM Neto tem que ouvir a população de Salvador. O meio ambiente não pode ser agredido. Modernidade tem que ter respeito ao meio ambiente. Sou da base do prefeito e estou aqui pedindo a ele para ouvir essas pessoas. Temos que ver o impacto disso no futuro”, pontuou Ana Rita.

Também governista, o vereador Kiki Bispo (PTB), tem uma opinião bem diferente. “Com todo respeito, discordo completamente do que falou Ana Rita Tavares. Foram muitas as licenças ambientais para que o projeto do BRT pudesse acontecer”, defendeu.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]