Eleições 2018: José Ronaldo diz que Bahia apresenta triste realidade e está entre os piores estados na questão da segurança pública

José Ronaldo: números do Ranking de Competitividade dos Estados refletem falta de investimentos; em três anos, 19 mil assassinatos em território baiano.

José Ronaldo: números do Ranking de Competitividade dos Estados refletem falta de investimentos; em três anos, 19 mil assassinatos em território baiano.

A Bahia vive uma triste realidade. Os números da violência continuam subindo e o governo não tem conseguido promover ações de segurança que reduzam os altos índices que colocam o estado entre os mais violentos do País. Somente em 2016, foram 7,1 mil mortes violentas, liderando o ranking nacional, uma média de 19,47 mortes/dia. Quatro cidades do estado figuram entre as 10 mais violentas dentre os 27 estados da Nação. O número de assaltos a banco, apesar de a Secretaria de Segurança Pública comemorar a redução, somou 112 em 2017, segundo dados da Contrasp – Confederação Nacional dos Trabalhadores de Segurança Privada, relata José Ronaldo (DEM), pré-candidato ao governo da Bahia, nas eleições de 2018.

Segundo José Ronaldo, a estatística é a prova clara da falta de investimentos eficazes na segurança pública, muitas vezes pensada apenas de forma ostensiva, com a força policial, sem se levar em consideração que ações voltadas a educação, saúde, esporte e cultura ajudam a reduzir os índices de criminalidade. “Segurança Pública é uma questão que deve ser pensada de forma estratégica. Não é possível que o governo se atenha apenas a força policial, sem pensar que a criminalidade cresce justamente por falta em investimentos em desenvolvimento humano. O policial é hoje também uma vítima desse sistema, ficando exposto e ainda sendo apontado como culpado”.

Na avaliação do pré-candidato à governador pelo Democratas, os dados estão refletidos no ranking de Competitividade dos Estados 2017, levantamento publicado pelo Jornal o Estado de São Paulo e que coloca a Bahia na 23ª posição, com Nota 12, contra uma média nacional de 46,2. Santa Catarina (100), São Paulo (96,4) e Acre (91,9) aparecem nas primeiras colocações. A pesquisa aponta que no item “Mortes a esclarecer”, o estado é o último colocado (27ª colocação), a mesma posição no quesito Atuação do Sistema de Justiça Criminal, repetindo os números de 2015 e 2016. Com relação a “Segurança Patrimonial” (roubos e furtos de veículos em relação a frota total/por 100 mil veículos) e “Segurança Pessoal” (óbitos resultantes de homicídios em relação a população total, a Bahia ocupa a 19ª colocação.

Se for contar os últimos 10 anos, foram mais de 50 mil homicídios no estado, dados da própria Secretaria de Segurança Pública. Em três anos do governo Rui Costa, os números são assustadores, chegando a quase 19 mil assassinatos, o equivalente à população de uma cidade do porte de Coaraci ou Buerarema. Os números continuam assustadores se for verificar o levantamento do último feriadão de 1º de maio, quando foram contabilizadas 28 mortes violentas na Região Metropolitana do Salvador, diz José Ronaldo.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]