Dados do ex-prefeito José Ronaldo e do presidente Michel Temer são fraudados por quadrilha suspeita de crime na Bahia

Reportagem do Jornal Estadão relata prisão de suspeito Guilherme Silva Fraga, possível responsável por fraudar dados de José Ronaldo e Michel Temer.

Reportagem do Jornal Estadão relata prisão do suspeito Guilherme Silva Fraga, possível responsável por fraudar dados de José Ronaldo e Michel Temer.

Reportagem Rene Moreira — publicada nesta esta quarta-feira (02/05/2018) no jornal Estadão — revela que o suspeito de matar um delegado e sequestrar o gerente de um banco na Bahia Guilherme Silva Fraga, de 27 anos, foi localizado pela polícia em Montes Claros, Minas Gerais. Em posse do suspeito encontravam-se dois aparelhos celulares cujos números estavam vinculados ao presidente da república, Michel Temer (MDB/SP) e ao ex-prefeito de Feira de Santana e pré-candidato ao governado da Bahia José Ronaldo de Carvalho (DEM).

O suspeito não contou como obteve esses dados, mas a polícia acredita que tenham sido usados com a intenção de dificultar a obtenção de escuta dos aparelhos. “Talvez achassem que assim o juiz não autorizasse a interceptação dos celulares”, explicou o delegado Herivelton Ruas Santana, de Montes Claros. De acordo com a polícia, o uso dos dados não ocasiona prejuízos aos políticos.

Segundo a reportagem, o suspeito foi pego no bairro Sagrada Família, em Montes Claros, e a prisão não foi divulgada de imediato para não atrapalhar o monitoramento a outros integrantes da quadrilha. Policiais acreditam que Fraga participou do sequestro de um gerente do Banco do Brasil em Barra da Estiva (BA) e do assassinato do delegado da cidade, Marco Antônio Torres, morto em abril enquanto investigava as ações do grupo. Os criminosos também estariam envolvidos em ataques a carros-fortes e caixas eletrônicos.

O delegado disse, também, que um carro usado nos crimes foi apreendido com o suspeito. Além disso, um dos comparsas foi preso em São Paulo, enquanto que outro morreu em confronto com a polícia. A localização deles se deu através de interceptação telemática.

Contra Guilherme Fraga existe extensa ficha policial que inclui sequestros e ataques a bancos. Na agenda dele estavam anotados o CPF e o nome completo do presidente, Michel Miguel Elias Temer Lulia. Celulares com chips cadastrados em nome de Temer e do prefeito de Feira de Santana (BA), José Ronaldo de Carvalho, também teriam sido usados por outros integrantes da quadrilha.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]