Carta aberta ao presidente Lula | Por Josias Gomes

Membros de tribos indígenas participam da vigília ‘Lula Livre’, no acampamento Marisa Letícia, em Curitiba.

Membros de tribos indígenas participam da vigília ‘Lula Livre’, no acampamento Marisa Letícia, em Curitiba.

“A liberdade o aguarda, assim como o esquecimento aguarda seus algozes”.

“Vendo o sol a brilhar no céu celeste

No impacto das secas cruciantes

Já não posso apelar pros governantes que não lembram do nordeste

Michel Temer roubando feito a peste

Aumentando o petróleo e a energia

Cortou o tempo da aposentadoria toda minha esperança se consome

Se eu parar de cantar morro de fome que a cantiga é meu pão de cada dia

Quando Lula era nosso presidente

Ganhei casa, samu, bolsa família, comprei carro, troquei minha mobília, comprei tudo que quis pra minha gente

nordestino ganhou vida decente e almoçava em qualquer churrascaria,

hoje se eu não fizer a cantoria, lá em casa onde eu moro ninguém come.

Se eu deixar de cantar morro de fome que a cantiga é meu pão de cada dia.”

Caro presidente Lula

A vontade de te escrever esta carta aberta surgiu por uma série de motivos.

O primeiro foi a desfaçatez do déspota de plantão, que foi à TV comparar-se com José Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes. Além de desrespeito ao nosso primeiro mártir da Independência, isto é um desrespeito a você, que todo mundo sabe e considera o nosso Tiradentes do século XXI.

Outro motivo foi a decisão desta juíza, de primeira instância, de Curitiba, proibindo a visita de Adolfo Perez Esquivel, prêmio Nobel da Paz, e de Leonardo Boff, um dos mais importantes teólogos do Cristianismo de todos os tempos.

Outro motivo foi a agressão a você e aos participantes da sua caravana pela cidadania por pessoas que pregam o ódio e a intolerância política.

Tenho a certeza de que a grande maioria do povo brasileiro está solidário com você nesta cela de Curitiba.

Personagens históricos que dispensam apresentação, Anita e Giuseppe Garibaldi, a “heroína e o herói de dois mundos”, foram combatentes libertários, e testemunhas vivas até hoje da liberdade das paixões e da paixão pela liberdade.

No Nordeste, outros dois revolucionários – expoentes da luta pela liberdade – foram o baiano Carlos Marighella e o pernambucano Joaquim da Silva Rabelo – Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo Caneca -, mais conhecido como Frei Caneca, um dos mentores da Revolução Pernambucana.

Não tenho a menor dúvida de que se estivessem vivos todos eles também estariam tentando visitá-lo, assim como Perez Esquivel e Leonardo Boff.

Agora, todos estamos nesta situação, com você detido nos 15 metros quadrados de uma cela em Curitiba. Mas sei que há milhões de corações detidos com você, nesta cela a que o condenaram injustamente.

Como disse o Perez Esquivel, você liderou um movimento ascensional de dezenas de milhões de pessoas e famílias que saíram da miséria e da pobreza em direção a uma vida melhor. Além disto mostrou ao mundo e a nós mesmos o potencial de um país como o Brasil enquanto líder na promoção da paz internacional.

Sua injusta prisão é mais um lance dos poderosos, que não aceitam sua popularidade junto ao povo brasileiro e, por isso, querem impedir sua justa aspiração de novamente concorrer ao cargo de presidente do Brasil.

Sabem que se concorrer ganhará novamente – como nas duas vezes anteriores – e, assim, irá botar o Brasil outra vez no rumo certo. Com certeza, anulará os atos insanos desse desgoverno que tirou muitas das conquistas do povo brasileiro, obtidas durante seu governo e do Partido dos Trabalhadores (PT).

Essa elite reacionária odeia ver os mais pobres viajando de avião, cursando universidades – públicas e particulares -, comprando iogurte nos supermercados, e ascendendo socialmente.

Eles podem – como já fizeram – te prender, mas jamais prenderão o sonho do povo brasileiro. Jamais poderão abafar o grito das ruas, das pessoas clamando por sua liberdade e por um país mais justo.

Jamais conseguirão impedir o rio de seguir em direção ao mar, nem silenciar as massas.

Muito menos conseguirão impedir o povo brasileiro de expressar seu voto em Lula, no PT e na luta de toda a esquerda.

Eles nem sabem o que fazer, pois livre você será novamente o presidente mais amado da história. Preso você se torna referência de líder que não se dobra aos desmandos, como foi Nélson Mandela – que saiu da prisão para se tornar presidente da África do Sul.

E se ousarem te matar teu sangue tingirá o país de vermelho. E se tornará imortal, assim como Martin Luther King e muitos outros heróis que pagaram com a vida pelo sonho de justiça e igualdade social.

E como ele, poderá usar seu lema: “Eu tenho um sonho…”.

Mas tua liberdade, em breve, revolucionará os corações e mentes dos brasileiros.

Estamos todos com você, Lula.

Estamos lutando e vamos continuar lutando até a vitória.

Um abraço meu, dos baianos, dos nordestinos, e da maioria do povo brasileiro.

LULA LIVRE!

*Josias Gomes é deputado federal pelo PT da Bahia.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Assine o JGB

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]