+ Manchetes >

Projeto ‘Soloteropolitanos’ desembarca em Salvador no Teatro Gregório de Mattos

Projeto ‘Soloteropolitanos’ estreia em Salvador com os espetáculos 'Seu Bomfim', 'Joelma', 'Sebastião' e 'Eterno Retorno – ERê'.

Projeto ‘Soloteropolitanos’ estreia em Salvador com os espetáculos ‘Seu Bomfim’, ‘Joelma’, ‘Sebastião’ e ‘Eterno Retorno – ERê’.

Depois de ser apresentado nas cidades de Brasília, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo, o projeto ‘Soloteropolitanos’ do grupo  baiano ‘Território Sirius Teatro’ estreia em Salvador. De 28 de abril a 20 de maio de 2018, no Teatro Gregório de Mattos, o projeto reunirá quatro encenações de repertório do grupo: ‘Seu Bomfim’, ‘Joelma’, ‘Sebastião’ e ‘Eterno Retorno – ERê’. Os espetáculos serão apresentados sempre aos sábados e domingos, às 19 horas. Os ingressos poderão ser adquiridos no local, no dia da apresentação, a partir das 17 horas.

Com o propósito de promover a democratização do acesso à cultura, os espetáculos ‘Seu Bomfim’, ‘Joelma’ e ‘Sebastião’ possuem interpretação em libras e legendas em português e serão disponibilizados ingressos gratuitos para instituições beneficentes, escolas públicas, idosos e pessoas com deficiência através do site www.eufacocultura.com.br.

As encenações possuem teores, temáticas e estéticas distintas: ‘Seu Bomfim’ (dias 28 e 29 de abril) se constitui de um espetáculo inspirado na obra de Guimarães Rosa.  Já ‘Joelma’ (dias 5 e 6 de maio) aborda questões de gênero e de religiosidade, através da história de uma das mais antigas transexuais do Brasil, atualmente com 72 anos. O terceiro espetáculo, ‘Sebastião’ (dias 12 e 13 de maio), traz à cena a teatralização de um fato real e inusitado: a queda de um avião com 5 milhões de reais em Maracangalha (BA), numa contação de história marcada pela alta fisicalidade e criação de uma trama  permeada de personagens, ambientes e situações. ‘Eterno Retorno – ERê’ (dias 19 e 20 de maio) trata de temas urbanos e cosmológicos, apresentando uma dramaturgia de recortes, gerações de personas cênicas, estética contemporânea, ao tratar da criação e evolução do universo e da vida, desde o Big Bang até os dias de hoje.

Todos os espetáculo são realizados pelo ator, autor e diretor Fabio Vidal que, há mais de 18 anos, junto ao ‘Território Sirius Teatro’, promove a criação e circulação de produções teatrais autorais, mobilizados pela pesquisa estética e temática de assuntos e modos variados na cena, resultantes de processos criativos que agregam experimentação, teatro físico, emoção, humor e veiculação política, derivando acontecimentos cênicos múltiplos, de alta qualidade artística e técnica fundamentados no ator-performer. ‘Seu Bomfim’ possui a direção de Meran Vargens e em ‘Joelma’ Fábio Vidal divide direção e autoria com Edson Bastos. O projeto é uma produção da Multi Planejamento Cultural. O ‘Território Sirius’ já realizou mais de mil apresentações do seu repertório em quase todos os estados brasileiros, além de países da Europa e América Latina.

‘Seu Bomfim’

Neste espetáculo, o ator-performer, autor e diretor Fábio Vidal emociona o público com as histórias contadas por ‘Seu Bomfim’, repleta de personagens inusitadas e experimenta variadas sensações que transitam entre o cômico e o trágico. A montagem, que neste ano comemora 18 anos, já passou por mais de duzentas cidades brasileiras e europeias.

Um contador de histórias chamado Seu Bomfim, um velho e errante homem do sertão, surge contando um episódio sobre um “homem do rio”, que deixou sua família e sua vida para se colocar numa canoa, no meio do rio, de onde não sai mais. A partir dessa narrativa, ‘Seu Bomfim’ narra acontecimentos do seu passado, quando rememora pessoas e locais, e expõe pensamentos sobre várias questões. Suas histórias, seu humor, questionamentos e ações levam o espectador a entrar no seu mundo subjetivo, colocando em evidência seu drama humano e pessoal, que se encontra enraizado numa cultura sertaneja do nordeste brasileiro.

O encantamento se faz uma reação constante no espetáculo teatral que transita entre sentimentos e temas distintos. O espectador ri, chora e se emociona com as histórias contadas ao experimentar variadas sensações que transitam entre o cômico e o trágico num teatro físico e mental que não prescinde das palavras bem ditas.

‘Joelma’

A encenação traz ao público a história de Joelma, uma das mais antigas transexuais da Bahia e do Brasil, atualmente com 72 anos. ‘Joelma’ é uma adaptação do curta-metragem homônimo dirigido por Edson Bastos, que assina, junto com Fábio Vidal, a direção e autoria da peça.

O texto aborda questões de gênero e de religiosidade, através da história de Joelma, repleta de preconceitos, injustiças, vitórias e conquistas. Na trama, a personagem deixa o município de Ipiaú, na Bahia, com destino a São Paulo, onde vive e trabalha por 30 anos. Nesse período, ela realiza a cirurgia de mudança de sexo e adaptação corporal para enfim retornar casada à sua cidade natal, afirmando sua identidade de gênero. Na década de 90, Joelma se envolve em um assassinato que irá marcar sua vida.

Estabelecendo um diálogo entre o cinema e o teatro, o espetáculo é permeado de projeções e danças, estabelecendo uma aproximação do público com a forte e religiosa presença de Joelma, que mostra suas diversas facetas ao estabelecer um discurso de alteridades e respeito às diferenças.

‘Sebastião’

Um nordestino, chamado Sebastião, se vê envolvido em uma trama de perseguição depois que participa do saque de um avião que caiu com R$ 5,6 milhões. Devoto do padre Cícero, viciado em jogos e totalmente endividado, ele, por obra do acaso, recebe um tesouro dos Céus que acaba sendo o motivo de sua tragédia. Um presente que vira uma maldição.

Esta encenação constitui-se de uma teatralização de dados e fatos que aconteceram quando uma aeronave se espatifou nas terras de Maracangalha (BA), em 2007, e, ao invés de felicidade, trouxe desespero e terror para os moradores locais. “Sebastião” trata sobre a natureza humana estabelecendo reflexões sobre o poder, dinheiro, direitos humanos e ética.

‘Eterno Retorno – ERê’

O espetáculo trata da história da criação do universo, da vida e do humano: seu processo de ciclos, de evoluções. Inicia antes do Big Bang (15 bilhões de anos atrás) e se desenvolve até os dias atuais.

O artista evoca ao palco um ERê, personagem que assume os papéis de mensageiro, palhaço, bufão e divindade. Ele vivencia todas as contradições da existência humana sob diferentes aspectos – a morte e a vida; a infância e a velhice; o trágico e o cômico.

‘Eterno Retorno – ERê’ se desenvolve a partir da união de três matrizes: 1- Teorias científicas evolucionárias e cosmológicas; 2- Doutrina do Eterno Retorno de Nietzsche; 3- E da persona do ERê. A partir dessa conjunção, a encenação narra e questiona o processo evolucionário, abordando, com humor, questões múltiplas como memória, vida, consumo, tempo, caos, verdade, liberdade, saúde, padronização, violência e ecologia através de metáforas corporais e poesias cênicas.

O espetáculo, já foi apresentado em diferentes estados brasileiros, além de integrar a programação de importantes festivais.

Agenda

Período: 28 de abril a 20 de maio, às 19 horas

Local: Teatro Gregório de Mattos

Endereço: Praça Castro Alves, s/n, em Salvador

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]