O analfabeto político

Alberto Peixoto: O analfabeto político não pesquisa, não se informa, não participa como deveria das questões inerentes à política.

Alberto Peixoto: O analfabeto político não pesquisa, não se informa, não participa como deveria das questões inerentes à política.

“O preço a pagar pela tua não participação na política é seres governado por quem é inferior” Platão 428-347 A.C.

O analfabeto político não pesquisa, não se informa, não participa como deveria das questões inerentes à política, não se interessa pelos assuntos que vai nortear sua vida e de seus familiares; não se importa pelo que vai traçar não só os seus caminhos, mas de toda a sociedade. Infelizmente ser analfabeto político vai muito além de não saber ler nem escrever.

Mesmo que você pretenda permanecer distante do ambiente político, o sistema vai estar sempre exercendo grande influência em sua vida. Os bens de consumo, serviços, possibilidade de possuir uma estrutura de saúde adequada, acesso à educação, emprego, são intermediados pelo desejo político.

Atualmente para o brasileiro, neste momento de crise política e das principais instituições, é recomendado que se afaste deste conceito inferior de analfabetismo político. É fundamental que este conceito seja extinto através da capacitação e não seja visto como um bicho de sete cabeças; algo enfadonho, um assunto sem fulgor, mas que, se você fugir dele, “o monstro da ignorância vai lhe devorar”.

Para Bertold Brecht (1898-19560), dramaturgo e romancista alemão, “o pior de todos os analfabetos é o analfabeto político”. Bertold exprimiu seu pensamento no seguinte comentário: “O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala e não participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro, que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política. Não sabe o imbecil, que da ignorância política nascem a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e bajulador das empresas nacionais e multinacionais.” Berthold Brecht. Observação bastante atual!

Como pode uma pessoa que não considera o interesse por política algo, no mínimo necessário para se ter um futuro razoável? O que concerne cobrar, de quem cobrar e o que é na verdade encargo dos representantes do povo? Seria pronunciando a terrível frase: odeio política? Ou então: “política não se discute”?

São as decisões políticas que resultam no aumento das tarifas de luz, água, transportes coletivos, combustíveis, dos impostos, no aumento do frete das cargas e em consequência, no aumento dos produtos manufaturados ou não.

Infelizmente deve-se admitir, que o analfabetismo político no Brasil, não só frequenta o círculo formado pelos brasileiros comuns, mas como também grande parte do meio político deste país. Muito pior ainda é também saber que, alguns políticos também são analfabetos funcionais.

Alberto Peixoto – Escritor

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.