+ Manchetes >

Ao denunciarem latifúndio improdutivo da família Marinho, trabalhadores Sem Terra sofrem constantes ameaças do coronelismo da região

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) diz que fazendeiro ameaçou famílias que ocupavam as terras da Fazenda Aliança.

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) diz que fazendeiro ameaçou famílias que ocupavam as terras da Fazenda Aliança.

Na madrugada desse sábado (14/04/2018), cerca de 150 famílias Sem Terra ocuparam o latifúndio abandonado da Fazenda Aliança, no município de Eunápolis. Segundo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a fazenda tem mais mil hectares que não cumpre sua função social. Possui três sedes abandonadas, uma plantação de cacau abandonada há mais de 10 anos e que atualmente encontra se tomada pela vassoura de bruxa e, por último possuía uma área de pasto que se tornou capoeira devido o abandono de anos. Além disso, as famílias em diálogo com os trabalhadores da região denunciam que a propriedade possui claras evidências de ser uma terra devoluta.

Com a ocupação, o latifúndio passou ser denominado ‘Acampamento Márcio Matos’, em homenagem ao lutador do povo assinado brutalmente na frente de seu filho de 6 anos, no dia 24 de janeiro de 2018.

A ação faz parte da Jornada Nacional de Lutas pela defesa da democracia e pela liberdade imediata do Presidente Lula, preso político, diz MST.

Ameaças

No relato a seguir, com título ‘Ameaças Constantes do Coronelismo’, o MST denuncia ameaças:

— A Direção Estadual do MST na Bahia denuncia as práticas de pistolagem e de ameaças constantes que as famílias Sem Terra acampadas estão sofrendo desde a ocupação.

— Desde o sábado as famílias foram surpreendidas, em quatro ocasiões, com a chegada de homens fortemente armados sob o mando de latifundiários que vieram ameaçar e tentar intimidar as famílias.

— Em um desses episódios, um homem de nome Arildo Bahia, irmão do ex secretário de Agricultura de Eunápolis, adentrou em alta velocidade no acampamento com uma HiLux, placa PKH 7355, que quase atropelando as crianças que estavam brincando na ciranda.

— Ameaçou e buscando intimidar as famílias exclamou em voz alta que tinha avisado a Márcio Matos que ele iria morrer. E que naquele momento, estava avisando às famílias que saíssem imediatamente do acampamento para não sofrer o mesmo fim.

— De acordo aos trabalhadores presentes, referido homem é um velho conhecido na região por suas práticas de ameaça e intimidação dos trabalhadores.

— Em outra ocasião, o acampamento foi surpreendido com a chegada de vários homens. Uns cercaram o acampamento portando armas de fogo, que aparentemente pareciam a rifles. Outros acompanharam dois fazendeiros que se aproximaram até as famílias e em tom ameaçador exigiram a retirada imediata, afirmando que ali não se poderia ficar. “Em meio dos homens que exigiram a saída das famílias, se encontrava o fazendeiro e também policial de nome Resende, que no momento se encontrava a paisana”, afirmou as famílias ameaçadas.

— Diante do ocorrido a Direção Nacional do MST exige às autoridades competentes imediata solução e intermediação no conflito.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]