Antônio Cardoso completa 56 anos de emancipação política

Fachada da sede da Prefeitura Antônio Cardoso.

Fachada da sede da Prefeitura Antônio Cardoso.

Fachada Paróquia Nossa Senhora do Resgate (Igreja Matriz), Praça da Matriz, em Antônio Cardoso.

Fachada Paróquia Nossa Senhora do Resgate (Igreja Matriz), Praça da Matriz, em Antônio Cardoso.

Uma missa solene em ação de graças, sessão na Câmara de Vereadores e desfile cívico, fazem parte da programação de comemoração pelos 56 anos de Emancipação Política Administrativo do município de Antônio Cardoso, nesta quarta-feira (18/04/2018). Localizada na margem esquerda do Paraguaçu, o município encontra-se em pleno desenvolvimento com significativos investimentos em todos os seguimentos, inclusive na área de geração de emprego e renda com a chegada de fábricas que trarão para o cardosense cerca de 200 novos empregos diretos e indiretos.

Com uma população estimada em 11.600 habitantes, o município tem como principal economia a agricultura. O território é cortado pela BR-116 Sul, ao meio, onde está instalado o Posto Fiscal Durval Carneiro. Possui 3 distritos: Antônio Cardoso, Santo Estêvão Velho e Poço. O arraial de Oleiro ainda não foi reconhecido como distrito.

Destacam-se como pontos turísticos a estrada boiadeira, a centenária Igreja do distrito de Santo Estêvão Velho junto com a imagem do Padroeiro o santo Estêvão à margem da BR-116, as fazendas Cavaco e Santo Antônio, a lagoa dos Jesuítas no distrito de Santo Estêvão Velho, a agradável margem dos rios Paraguaçu (localidade de Ilha e Queimadas), encontro do rio Jacuípe com o Paraguaçu (em Ilha e Lagoa), encontro do rio Curumatai com o Paraguaçu (no Maxixe e Pernambuco) favorável ao relaxamento da prática do ecoturismo e para banho.

O município possui antigas tradições populares herdadas do estilo de vida campestre que combina trabalho e diversão, algumas raras outras intactas como: samba de roda que é reconhecido como patrimônio da humanidade nas rezas (novenas) para venerar as imagens do culto particular do Candomblé; marra e pesa de fumo como encontro de prosa para reunir amigos, parentes e vizinhos; raspagem de mandioca, bata de feijão, dijitórios com cantorias para cavar buraco e plantar o feijão e queima de judas, em dezembro simbolizando o nascimento do menino Jesus.

 A quadrilha de São João e casamento na roça, festa de São João e São Pedro em junho estão entre as mais tradicionais do Vale do Paraguaçu com visitas nas residências. Outra tradição são as rezas de São Cosme e São Damião em 27 de setembro, festejo de São Roque em 16 de agosto com a presença de romeiros de várias partes da Bahia e do Brasil, festa do Padroeiro Santo Estêvão em 26 de dezembro e Nossa Senhora do Resgate em 7 de maio.

As comemorações começam às 08 da manhã com hasteamento das Bandeiras e execução do hino nacional na Prefeitura. Às 09 horas será realizada a Missa Solene em Ação de Graças na Igreja Matriz Nossa Senhora do Resgate. Às 10 horas acontece a sessão solene a Câmara Municipal. O desfile cívico acontece às 14 horas na sede do município.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]