Que a morte sirva de lição | Por Juarez Cruz

ACM Neto: Eu considero esse momento de extrema dor, eu quero até aproveitar para me solidarizar com essa família, mas que o desabamento, infelizmente, sirva de exemplo e de alerta para outras famílias que eventualmente construíram imóveis de maneira irregular, sem seguir os padrões de segurança e de engenharia.

ACM Neto: Eu considero esse momento de extrema dor, eu quero até aproveitar para me solidarizar com essa família, mas que o desabamento, infelizmente, sirva de exemplo e de alerta para outras famílias que eventualmente construíram imóveis de maneira irregular, sem seguir os padrões de segurança e de engenharia.

Hoje, 13 de março de 2018, aconteceu mais uma tragédia num bairro pobre de Salvador, em Alto do São João, em Pituaçu, e o resultado dessa infeliz ocorrência: quatro mortos e mais de uma dezena de pessoas desalojadas.

Oba! O prefeito anunciou para imprensa que vai distribuir o auxílio social para os desabrigados. Ótimo. Vão todos viver felizes para sempre. Só que para concluir sua entrevista o prefeito soltou uma pérola, digna de quem quer que o povo se ferre, de quem está se lixando para a população pobre de Salvador, ele disse textualmente, alto e em bom som, durante uma entrevista na TV, ao tentar justificar porque estes acidentes acontecem nessas áreas de riscos “é bom, infelizmente, que isto sirva de lição para quem insiste em construir em áreas de risco”. É bom que pessoas morram para poderem aprender senhor prefeito? O senhor acredita mesmo que é dessa forma, morrendo, que se aprende?

È bom para quem cara pálida. Pessoas morrem soterradas porque se atrevem a morar nos únicos lugares que lhes são permitidos, que são as encostas, a beira de córregos fétidos, sujos, cheios de ratazanas e mosquitos, e em terras abandonadas pelo poder público que fecha os olhos e não toma conhecimento das necessidades de quem habita locais como estes, locais onde os políticos só aparecem quando em época de eleição para pedir o voto desses moradores e o prefeito ACM Neto, na maior cara de pau, maior insensibilidade, diz que estas mortes sirvam de lição. Para quem prefeito?

Prefeito, felizmente o senhor vive numa cidade com um dos piores IDH – Índice de Desenvolvimento Humano e com maior índice de analfabetos funcional do País, isto graças aos governantes que já passaram por Salvador e pela Bahia, incluindo ai seu avô, Antônio Carlos Magalhães (ACM), que governou Salvador e a Bahia por quase quatro décadas e deixou o povo nesta santa ignorância para que pudesse se manter no poder, enriquecer e permitir que o senhor pudesse ser prefeito de Salvador e vir hoje a público dizer uma asneira dessa e sair impune, inclusive pela imprensa, pelos políticos dos diversos partidos, principalmente os ditos de esquerdas, que são coniventes ou incompetentes a ponto de não perceberem a asnice dita pelo senhor. Porque se estes não o fossem, com certeza o senhor hoje mesmo estaria sendo cobrado por eles e pela população em praça pública e sua candidatura ao governo do Estado estaria indo agora por água abaixo. Mas, infelizmente, estamos em Salvador e na Bahia, e como diz um velho ditado, em terra de cego quem tem um olho é rei. Por isso o senhor é o prefeito de Salvador e ainda acha que pode ser governador da Bahia ou um vice-presidente da República por um partido qualquer. Vamos esperar ver.

De qualquer forma acho que ainda está em tempo do senhor pedir desculpas aos soteropolitanos de nossa terra. Porque se um político ou marqueteiro atento quiser poderá usar sua fala de hoje anoite durante a campanha eleitoral de 2018 e aí o senhor vai ver com quantos paus se faz uma canoa e aprender a respeitar um povo de sua cidade e de seu Estado.

Juarez Cruz, escritor e cronista ([email protected])

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]