Por que Rússia está comprando mais ouro?

Rússia aumenta reservas em ouro.

Rússia aumenta reservas em ouro.

Em janeiro de 2018, o Banco Central da Rússia aumentou sua participação de ouro em quase 20 toneladas métricas para 1.857 toneladas, atingindo uma alta histórica e superando a China em reservas de ouro. Mas por que a Rússia precisa tanto de ouro e como isso ajuda o governo a equilibrar riscos cambiais?

Padrões mundiais

As reservas internacionais da Rússia totalizaram US$ 454 bilhões, aproximando-se gradualmente do nível de US$ 500 bilhões estabelecido pelo banco. Enquanto isso, os EUA afirmam ser os maiores possuidores de ouro com 8.134 toneladas. Em segundo lugar, a Alemanha com mais de 3.000 toneladas, enquanto a Itália e a França têm 2.500 toneladas.

Cerca de 30% das reservas internacionais dos países desenvolvidos estão armazenadas em ouro. Nesse ponto, não há nenhuma alternativa ao ouro no sistema financeiro. Sua acumulação permite tanto se proteger de riscos cambias e sanções como ter a chance de ganhar mais fundos.

Declínio da dependência

Enquanto continua sendo o principal mecanismo de pagamento no sistema do comércio global, o ouro contribui para o declínio da dependência de qualquer moeda.

“Em primeiro lugar, o ouro é a diversificação dos riscos. Evidentemente, tem menos liquidez do que os títulos americanos ou alemães. O preço desse bem pode aumentar e diminuir. Mas em um eventual colapso do dólar, o ouro definitivamente manterá seu valor”, explicou Aleksandr Razuvaev, chefe do departamento analítico da Alpari, empresa de Forex fundada na Rússia em 1998.

Mecanismo de segurança

Na década de 1920, a União Soviética poderia negociar com outros países pagando somente com ouro. Questionados se tais procedimentos poderiam ser esperados agora, especialistas dizem que se a Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Globais (SWIFT) for interrompida na Rússia, isso resultaria na mudança para pagamentos em ouro.

O Irã tem mostrado que o ouro é uma segurança contra sanções. Quando restrições pesadas foram impostas a Teerã, o país continuou vendendo petróleo com transações sendo efetuadas também em ouro.

“Neste caso, o ouro é uma excelente alternativa. Este é um mercado com circulação anual de mais de US$ 8 trilhões, e você pode vendê-lo sempre que quiser, à medida que você controla esse recurso […]”, reconheceu o analista financeiro Aleksei Vyazovsky.

Excesso de emissão

Muitos analistas destacaram que, desde 2008, bancos centrais de vários países, dos EUA à China, emitiram notas de bancos em excesso, o que resultou em preocupações com a “qualidade” do dinheiro.

“A moda atual das criptomoedas é uma consequência dessas preocupações. Pessoas comuns adquirem moedas de ouro e digitais, enquanto bancos centrais tanto na Rússia como na China, estão acumulando reservas”, enfatizou Konstantin Korischenko, chefe de um mercado de ações e engenheiro financeiro na Academia Russa de Economia Nacional e da Administração Pública.

Ouro fica mais caro

Além disso, o motivo da corrida ao ouro é o aumento do preço. Desde janeiro de 2017, o valor deste metal precioso nas reservas da Rússia aumentou de US$ 60,2 para US$ 76,6 bilhões, registrando uma elevação de 27%.

*Com informações do Sputnik Brasil.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]