Salvador: Ondulações, falta de acabamento na sarjeta e brita soltando, baixa qualidade da pavimentação asfáltica realizada pela gestão do prefeito ACM Neto causa indignação

Em vários trechos da Avenida Luís Viana (Parelala), em Salvador, a baixa qualidade do asfalto aplicado pela gestão do prefeito ACM Neto provoca risco de dano para veículos e transeuntes.

Em vários trechos da Avenida Luís Viana (Parelala), em Salvador, a baixa qualidade do asfalto aplicado pela gestão do prefeito ACM Neto provoca risco de dano para veículos e transeuntes.

Cidadão encaminhou neste sábado (24/02/2018) ao Jornal Grande Bahia (JGB) fotografias da Avenida Luís Viana (Parelala), em Salvador, acompanhadas de nota crítica com relação a pavimentação asfáltica da via urbana, realizada pela gestão do prefeito ACM Neto (DEM). Indignado, o cidadão relatou que a qualidade do asfalto utilizado no recapeamento era ruim e que britas, utilizadas no Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), com o trânsito, eram projetadas nos veículos e transeuntes, provocando danos materiais e físicos.

Além do relato do cidadão soteropolitano, outras fontes do JGB informaram que em diversos locais é observado, nas pavimentações realizadas pela gestão de ACM Neto, falta de acabamento na sarjeta das vias e ondulações e irregularidades no pavimento.

Não é distante o tempo em que os Magalhães governaram diretamente o estado da Bahia, ou através de prepostos, período em que foi cravada popularmente a expressão ‘asfalto sonrisal’. A expressão era oriunda do antiácido e analgésico contra azia e dor de cabeça que dissolvia com a água, sem deixar aparente vestígios da existência anterior. Diferente do medicamento, a pavimentação asfáltica produzida no período em que o Magalhismo governou o estado deixou um gosto amargo de desperdício de recursos públicos e falta de solução do problema de descolamento intermunicipal.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).