1º Festival da Caipirinha da Bahia é realizado em Salvador

1º Festival da Caipirinha da Bahia é realizado em Salvador.

1º Festival da Caipirinha da Bahia é realizado em Salvador.

A Rússia tem a Vodka, México a Tequila, Japão o Saquê, Inglaterra o Gin, e o Brasil tem a cachaça. Com essa bebida é feito o coquetel mais famoso do mundo, a caipirinha. No centenário dessa bebida, será realizado um festival só para ela. De 15 de março a 1º de abril de 2018 diversos bares e restaurantes de Salvador e região apresentam suas versões no  1º Festival das Caipirinhas da Bahia.

Com a proposta de divulgar a Cachaça baiana, a Caipirinha e a gastronomia regional, o festival será uma oportunidade de conhecer um pouco mais. “A caipirinha é um conceito que já extrapolou o limão. Desculpem os mais ortodoxos, mas a proposta do festival é que cada estabelecimento reveja os conceitos da caipirinha com limão e açúcar e crie novas sensações e novas experiências a seus clientes, usando exclusivamente a cachaça em sua produção”, informa o realizador do festival, Raimundo Freire.

O projeto é uma realização da Kikaxassa em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-Ba). Os drinques terão um preço fixo de R$ 10,00 e o evento pretende aumentar o fluxo de clientes nos estabelecimentos e contribuir para a divulgação de produtos e serviços que oferecem. A venda é proibida para menores de 18 anos.

A caipirinha

Parece simples fazer uma caipirinha. É só cortar o limão, adicionar uma boa Cachaça, açúcar e misturar ao gelo. Porém, com o passar dos anos, a Caipirinha ganhou diversas variações nas mãos de conceituados bartenders. “Há quem defenda ferrenhamente a receita tradicional, mas num país com tanta riqueza de frutas e cachaças de variados aromas, é desperdício ficar só na básica”, diz Freire.

Bebida típica do Brasil, ela foi criada por volta de 1918 no interior de São Paulo, e hoje é conhecida no mundo todo. Em dezenas de estabelecimentos da capital baiana, é possível provar desde a versão clássica, até releituras mais elaboradas com outras frutas e também xaropes.

História

Pesquisadores indicam que a caipirinha, como é conhecida, teria sido criada a partir de uma receita popular feita com limão, alho e mel e seria indicada para os doentes da gripe espanhola. A cachaça foi colocada porque na época era comum um pouquinho de álcool em todo remédio caseiro, a fim de acelerar o efeito terapêutico. Com o tempo foi retirado o alho e o mel e acrescentado umas colheres de açúcar para adoçar a bebida. O gelo veio em seguida. Outros pesquisadores dizem que a bebida foi criada por fazendeiros para festas de alto padrão, sendo um reflexo da forte cultura canavieira na região.

Para proteger a autenticidade do drink nacional, considerado um patrimônio brasileiro, o decreto de lei número 4.851 foi assinado em 2003 pelo Governo para garantir a propriedade intelectual sobre as marcas Caipirinha e Cachaça na legislação internacional.

A receita tradicional é diretamente preparada no copo, no qual o limão deve ser levemente macerado com o açúcar, posteriormente acrescentar o gelo e, na sequência, a dose de Cachaça. Deve-se mexer levemente para misturar os sabores. A cachaça oficial do festival é a premiadíssima Rio do Engenho, produzida na cidade de Ilhéus, localizada na região sul do estado.

Serviço

O quê: 1º Festival das Caipirinhas da Bahia

Quando: A partir de 15 de marco até 1º de abril

Onde: Nos melhores estabelecimentos de Salvador – Bahia – Brasil

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]debahia.com.br