UNIVERÃO é aberta em Lauro de Freitas com debate em defesa da democracia e da educação

Universidade de Verão (Univerão) é aberta em Lauro de Freitas.

Universidade de Verão (Univerão) é aberta em Lauro de Freitas.

Ao som de canções da MPB tocadas pela banda Bamus composta por jovens da comunidade de Itinga, a Universidade de Verão (Univerão) foi aberta em Lauro de Freitas na noite desta segunda-feira (15/01/2018). Os mais de 300 assentos do auditório do Centro Pan-americano de Judô (CPJ), na Praia de Ipitanga, foram tomados por um público ávido por conhecimento.

A prefeita Moema Gramacho conclamou todos a participarem do conceito revolucionário de ‘Cidade Educadora’, adotado por Lauro de Freitas desde o início da atual gestão. “A Univerão é mais um passo que damos para essa construção. Entendemos que educação não se faz apenas na escola, dentro de quatro paredes. Essa é uma oportunidade de todos terem acesso ao ambiente acadêmico”, enfatizou.

O evento inteiramente gratuito, fomentado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com 11 instituições do ensino superior da Bahia, ganhou o aval do representante da Secretaria Estadual de Educação. Acreditando no sucesso da iniciativa, Nilton Pitombo sugeriu a extensão da proposta para todo o estado. “Tenho a certeza que este é o início de um movimento que vai se expandir para toda a Bahia”, falou.

Conferência

Reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, abriu a rodada de conferências do projeto Univerão, apontando os desafios para a manutenção da democracia dentro dos campi públicos do Brasil. Doutor em Filosofia, Salles criticou a tentativa de implantação de projetos para a academia que buscam minimizar ou destruir bandeiras construídas.

“Pensam que as bandeiras tradicionais estão caducas; por exemplo, querem que a universidade deixe de ser gratuita, de ser pública, inclusiva. É curiosa a crítica às cotas, aos gastos dos recursos. Estão desenhando uma imagem de racionalidade econômica que contraria princípios fundamentais e nesse sentindo a própria ideia de universidade se vê ameaçada”, afirmou.

Atenta à palestra, a estudante de biologia Renata Cruz também concorda com o reitor. “Sua fala me trouxe uma grande reflexão sobre a autonomia das universidades públicas, esse lugar de construção de pensamento crítico tão vulnerável e atacado”, destacou.

A conferência de abertura contou com a presença dos reitores das Universidades Federais e estaduais da Bahia, diretores dos Institutos e presidentes das Fundações, da senadora Lidice da Mata, secretários estaduais da Ciência e Tecnologia Vivaldo Mendonça, de Políticas para Mulher, Julieta Palmeira, dos Direitos Humanos, Justiça e Cidadania, Carlos Martins. Estavam presentes ainda a presidente da Câmara de Vereadores de Lauro de Freitas, Naide Brito, e o presidente da Fundação Luís Eduardo Magalhães, Jones Carvalho.

Programação

O Univerão, projeto inédito no Brasil, acontece nos espaços públicos do município até o próximo domingo (21). Durante cinco dias mais de 130 cursos, oficinas, palestras, seminários, mesas redondas e conferências movimentarão a cidade. Com o tema ‘Conexões Democráticas para uma Cidade Educadora’, a proposta da primeira edição da Univerão é fomentar o turismo acadêmico, ampliando as ofertas de lazer, cultura e troca de conhecimento no período das férias. De acordo com o gestor da Semed, professor Paulo Gabriel Nacif, a concretização deste momento é resultado das lutas de gerações que mudaram o Brasil.

“No início dos anos 2000 tínhamos apenas 4,5% de estudantes no ensino superior em todo o país. Hoje são cerca de 10%. No mesmo tempo, havia 30% dos estudantes no nível médio hoje este número é de 60%. Os governos de centro e de esquerda mudaram o país e essa mudança deu à população uma nova expectativa em termos de lazer e cultura. A Univerão tem papel crucial nesse aspecto”, arguiu.

Integrando a ação, a Festur conduzirá os interessados em desbravar a cultura laurofreitense. Segundo o secretário de Cultura e Turismo (Secult), Manoel Carlos dos Santos, equipes levarão os estudantes a uma revisita à história local. Os roteiros apresentarão igreja secular, terreiros de candomblé tombados, territórios indígenas e quilombola além das belezas naturais. “A cidade está fervilhando com as atividades. Desejamos que todos os visitantes ao retornarem levem na mala saudade de nossa terra”, declarou.

Nesta terça-feira (16), as mesas redondas e palestras continuam no auditório do CPJ e os cursos e oficinas em vários pontos da cidade. A programação está disponível no site www.laurodefreitas.ba.gov/univerao.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]