Será intensificada ação contra leishmaniose no Distrito de Maria Quitéria, informa Prefeitura de Feira de Santana

Departamento de Vigilância Epidemiológica intensifica ação contra leishmaniose no Distrito de Maria Quitéria, em Feira de Santana.

Departamento de Vigilância Epidemiológica intensifica ação contra leishmaniose no Distrito de Maria Quitéria, em Feira de Santana.

A área onde residia o agente de portaria Antonio César da Silva, 34 anos de idade, morto na quinta-feira (25/01/2018), acometido de leishmaniose (doença denominada calazar, quando em cães), vai ser alvo de uma ação preventiva das equipes do Departamento de Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana. A informação é da diretora do Departamento, enfermeira Francisca Lúcia de Oliveira.

A vítima morava em uma comunidade em Maria Quitéria, zona rural do município. Conforme a diretora, o distrito é prioridade da Vigilância Epidemiológica, em suas ações de controle, desde 2016, através do Programa Municipal de Leishmaniose.

“O que faremos agora é um reforço deste trabalho, não apenas no local onde morava este jovem, mas em outras comunidades do distrito. É preciso contar com a colaboração da população, cuidados com seus cães e com as formas de proliferação do mosquito transmissor da doença”, diz ela.

Os bairros Aviário, Jussara, Campo do Gado Novo, Caraíbas, Pampalona e George Américo são assistidos pela campanha. A ação também ocorre nos distritos de Jaguara, Tanquinho e Governador João Durval. As pessoas podem obter orientações em contato com o Disk Saúde, através do telefone 0800 284 6656, ou com o Centro de Controle em Zoonoses, 3614-3613.

‘Mosquito palha’, ao picar animal infectado, transmite a doença

A leishmaniose é transmitida através da picada do flebótomo, conhecido popularmente como mosquito palha. Este inseto transmite a doença a partir de animais doentes, como cachorros e roedores, a outros animais e aos humanos. Existem dois tipos da doença, a visceral e a tegumentar.

A visceral apresenta sintomas de febre, palidez, fraqueza e aumento das vísceras. Já a tegumentar, tem como sintomologia lesões na pele e feridas com bordas elevadas. Nos animais, o quadro clínico para ambas as patologias, é febre, emagrecimento, feridas em geral no focinho, orelhas e extremidades, sangues nas fezes e crescimento exagerado das unhas.

A prevenção pode ser feita através do uso de repelentes, principalmente no horário de entardecer, limpeza de quintais e terrenos, poda de árvores, destino adequado ao lixo, limpeza de casas ou abrigos de animais domésticos. É importante atentar para saúde destes animais, como forma de prevenir a doença.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]