Salvador: Fundação Gregório de Mattos promove Diversão de Verão 2018

Cena do espetáculo ECA! Quanta Sujeira.

Cena do espetáculo ECA! Quanta Sujeira.

O verão chegou deixando a cidade mais cheia, agitada e animada. Em todo canto da soterópolis, todo mundo pede Diversão de Verão. Entrando no clima, a Fundação Gregório de Mattos, órgão vinculado à Secretaria de Cultura e Turismo, Prefeitura Municipal de Salvador, promove de 12 de janeiro a 4 de fevereiro de 2018, uma programação especial no Espaço Cultural da Barroquinha e Teatro Gregório de Mattos (TGM). Na pegada da multiplicidade de linguagens artísticas: teatro, dança, artes visuais e música, com formatos variados de atividades: exposições, apresentações, mostras, shows, festas e muito mais.

Após o sucesso da primeira edição, em 2017, o Diversão de Verão volta com a temporada 2018. Para Chicco Assis, Gerente de Equipamentos Culturais da FGM, “o calor do verão rima com diversão que flerta com a cultura, cuja diversidade aquece ainda mais estação do sol. A programação dos nossos espaços é um caldeirão que mistura verão, diversão, cultura e diversidade”, brinca Assis. Responsável pela programação dos espaços da Fundação, Chicco destaca que as atividades propostas, as atrações, os horários das apresentações, o valor dos ingressos com preços populares, é tudo pensado de modo que o público possa desfrutar de todas as delícias e sabores diversos que o verão de Salvador oferece. Segundo Assis, “quem vem aos nossos espaços no cair da tarde, pode antes tomar um banho de mar, almoçar uma boa moqueca ou feijoada, tomar um sorvete vendo o pôr do sol, e depois se jogar numa boa balada”.

Abrindo a segunda temporada do projeto Diversão de Verão, o Espaço Cultural da Barroquinha apresenta o Barroca Sonora, toda sexta, com o Duo B.A.V.I – Berimbau Aparelhado Violão Inventável – dos músicos Anderson Petti e João Almy, formados pela Universidade Federal da Bahia, que trazem em seu repertório canções, texturas, ambiências e melodias, como ‘Arrochina’ e ‘Na Cordadeira’, músicas autorais que exploram as influências da música urbana soteropolitana, com convidadas especiais: na sexta-feira (12), às 19 horas, as cantoras Andréa Laís (AL) e Aiace (BA) sobem ao palco na Casa de Dona Barroca. Já no dia 26, às 19 horas, para encerrar o projeto, é a vez das cantoras Talita Avelino (SP) e Gab Ferreira(BA), mostrando o poder das vozes femininas que estão atuantes no cenário da capital baiana.

O TGM dá start à programação com os Ensaios de Verão da Rainha Loulou, dia 12, às 18:30 horas. O palco de Tio Greg receberá um mix de apresentações de arte drag, teatro, dança e música. O evento começa às 19 horas, mas a partir das 18:30 horas, o bar já estará funcionando com bebidas e petiscos.  No comando dos Ensaios, a drag Rainha Loulou promete esquentar as noites de sexta, com muita ‘fexação’, ‘lacração’, ‘abalação’, ‘tombamento’. Para cada sexta, Loulou convidou um artista para assumir a direção artística de seus ensaios, são eles: Thiago Romero (dia 12), Marcelo Souza Brito (dia 19) e Fernando Guerreiro (dia 26). Já a iluminação será assinada por Moisés Victório. “Além de artistas que eu admiro muito, são todos amigos queridos que, sem pestanejar, toparam embarcar comigo nessa lacração de verão”.

Sábado (13), às 18 horas, Compadre de Ogum retorna aos palcos do Barroquinha, para mais uma temporada de verão em Salvador. O público soteropolitano terá a chance de rever um dos espetáculos de maior sucesso do teatro baiano nos últimos anos. Adaptação da obra de Jorge Amado assinada por Edvard Passos, Compadre de Ogum terá curta temporada de verão no período de 13 de janeiro a 3 de fevereiro, aos sábados, às 18 horas, no Espaço Cultural da Barroquinha. A obra, que já ganhou versão na televisão, em 1994, narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas: um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho ‘galego’. Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama.

Os sábados no TGM vão fazer muito barulho com Barulhinho na Aldeia e Convidados. O Barulhinho, evento realizado pelo Aldeia desde 2015 na Casa Preta, vai ocupar o Teatro Gregório de Mattos no Verão 2018, com a já conhecida celebração com bebida, fruta, pôr-do-sol e muita música, envolvendo apresentações artísticas e performances das diversas linguagens. A primeira edição acontece dia 13, às 17 horas, com a participação do Maracatu Ventos de Ouro, Banda Gazumba e o espetáculo YBYTU EMI, do Aldeia Coletivo Cênico.

Domingo (14), às 18 horas, Alexandra Pessoa comemora um ano do seu álbum VISITA, no Espaço Cultural Barroquinha, com a participação de Francisco Cerqueira, na bateria, Roberto Cândido, no baixo, Vitor Amazonas, na guitarra e Daniel Neto, na sanfona.

Os domingos na casa de Tio Greg são voltados para a criançada. O diretor teatral Guilherme Hunder reestreia o espetáculo infanto-juvenil ECA! Quanta Sujeira, que volta em cartaz no próximo domingo (14), às 16 horas, no Teatro Gregório de Mattos. A montagem, que fica em cartaz dias 14, 21 e 28 de Janeiro e 4 de Fevereiro, sempre às 16 horas, pega o meio ambiente como mote para discutir mais um tema tabu do público da criança e do jovem: política. Com dramaturgia de Otávio Correia, escrita a partir de textos do diretor Guilherme Hunder e do também ator Alex Brandão, ECA! Quanta Sujeira conta a história de um Rato (Douglas de Oliveira), uma Barata (Genário Neto) e uma Mosca (Sabrina Bispo) que vão em busca da terra prometida e encontram o tão sonhado lixão, onde a “felicidade” estará presente pelo resto da vida. Para isso vão aprontar “poucas e boas”. Na terra tão sonhada, já habitada por toneladas de lixo, o Rato nomeia-se presidente do Lixão e começa a instituir leis que proíbem, dentre outras coisas, a coleta seletiva. A instauração da nova lei, gera uma insatisfação na população que deseja a reciclagem dos materiais orgânicos e não orgânicos. No meio do desagravo das políticas instituídas pelo Rato, tais como a abolição da coleta seletiva, alguns habitantes, entre eles, Pilha de Papel de Xerox (Breno Fernandes), Garrafa Pet (Felipe Nery), Latinha de Alumínio (Daddy Lima), Pedaço de Vidro (Joice Paixão), Casca de banana (Carol Alves) e Pedaço de Pão Francês (Isadora Werneck), seres inanimados que ganham características humanas, vão se manifestar contra as leis sancionadas sem diálogo, principalmente, por desejarem ser reciclados ou virarem matéria prima para adubação. Para deixar a história mais divertida, o espetáculo conta com muita música, assinadas pelo compositor Ray Gouveia, e uma partitura corporal baseada nas revistas em quadrinhos, dirigida pelos coreógrafos Lulu Pugliese e Breno Fernandes. Repetindo a parceira do espetáculo Avesso, Guilherme Hunder convida Agamenon Abreu para assinar cenário e figurino de ECA! Quanta Sujeira. A assistência de direção fica por conta de Sidnaldo Lopes, Larissa Libório, Breno Fernandes e Queila Queiroz. “Gosto mesmo é de trabalhar de galera”, brinca Hunder.

Dona Barroca convida a todos para duas sessões de Cinema na Praça, ou melhor, no pátio da sua casa.  Nas quartas (17 e 31), às 19 horas, acontecem duas edições especiais do Cinema na Praça no pátio do Barroquinha com exibição de filmes nacionais baianos aberto ao público.

Todas as quintas, às 19 horas, a poesia ganha espaço no TGM, com as Quintas Gregorianas. O evento faz parte da programação interativa de Gregórios, exposição sobre vida e obra de Gregório de Mattos, figura emblemática, crítica e muito à frente do seu tempo e, há quem diga, até do tempo atual. Na mostra, além do cenário seiscentista pareado com a alta tecnologia da modernidade que narra a trajetória do poeta, foi montado um espaço para encontros, saraus, declamações, lançamento de livros, roda de conversa, slam e o que a imaginação permitir. A partir do dia 18, todas as quintas do verão de Salvador serão Gregorianas. O evento é aberto ao público.

A exposição Gregórios segue aberta ao público de quarta a domingo, das 14 às 19 horas.

Domingo (21), às 18 horas, no Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o Espaço Cultural da Barroquinha abre as portas para a reflexão com a Exposição Orixás Da Bahia, na Galeria Juarez Paraíso, e a reativação da Fonte de Oxum, na área externa do espaço. Orixás da Bahia é uma exposição com 16 estátuas em tamanho natural de divindades africanas, esculpidas em papel marchê pelo artista plástico Alecy Azevedo (in memorian). As obras integram o acervo do Museu da Cidade. A curadoria tem assinatura do artista visual, cenógrafo, aderecista e figurinista, Maurício Martins, com consultoria religiosa de alguns membros do Terreiro do Gantois, cuja Iyalorixá Mãe Menininha (in memoriam) foi responsável por vestir os 16 orixás, na década de 1980. Martins, além de recuperar as roupas (figurinos) e os adereços que vestem as esculturas de Alecy, projetou um cenário que promove um diálogo entre elementos da ancestralidade e da contemporaneidade. A Fonte de Oxum foi totalmente reformada pelo Studio Argolo e contou com o amparo espiritual de Doté Amilton, sacerdote do Terreiro Kwe Vodun Zo.

A exposição segue aberta ao público de quarta a domingo, das 14 às 19 horas.

Na terça (23), às 15 horas, o Espaço Cultural da Barroquinha sedia a roda de conversa sobre A importância de Nelson Maleiro para a música e o carnaval de salvador. A organização do evento é de Ivan Lima, vice-presidente da Associação dos Amigos de Nelson Maleiro ‘O Gigante’. Nelson Maleiro é considerado um revolucionário da música instrumental percussiva. Além de músico, ele também fabricava e consertava instrumentos. Maleiro era um artista de vanguarda, com visão muito à frente do seu tempo. Morre em 1982, vendo seu sonho tornar-se realidade ao ver o Carnaval e a Bahia mais percussivos. Para Ivan Lima, “se a Cidade do Salvador é considerada a Capital Mundial da Percussão, o músico Nelson Maleiro é o responsável por preconizar o sucesso dos tambores baianos.”. Evento aberto ao público.

Já na Casa do Benin, na terça (23), 18 horas, acontece a abertura da exposição AFÉTO, que também integra as celebrações pelo Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa. Com curadoria de Marco Antônio Teobaldo, AFÉTO apresenta fotografias do artista paulista Roger Cipó que exibem raros registros das expressões de cuidado e amor que constituem o cotidiano dos territórios sagrados do candomblé.

No período do verão, a Casa do Benin fica aberta à visitação, de segunda a sexta, das 9 às 17 horas e aos sábados, das 10 às 16 horas, permitindo ao público visitar o acervo permanente com peças coletadas por Pierre Verger em expedições que realizou ao continente africano.

O Coletivo Bonecas Pretas, formado por artistas drags negras, levará a diversidade para a Barroquinha com performances ‘baphônicas’, no domingo (28), às 18 horas.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]