Espetáculo teatral Compadre de Ogum celebra cinco anos no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador

Cena do espetáculo 'Compadre de Ogum'.

Cena do espetáculo ‘Compadre de Ogum’.

A peça ‘Compadre de Ogum’, que tem adaptação e direção de Edvard Passos, celebra cinco anos fazendo o que de melhor se pode fazer quando se vive de teatro: entrar em cena. Por isso, nos próximos sábados, dias 20, 27 de janeiro e 3 de fevereiro de 2018, às 18 horas, no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, ‘Compadre de Ogum’ faz temporada onde a entrada custa apenas um quilo de alimento não perecível, que será doado ao Núcleo de Assistência à Criança com Câncer (Nacci).

Para completar a celebração, a peça contará com as participações especiais dos Filhos de Ghandy e do Cortejo Afro, que como revela o diretor Edvard Passos, estavam presentes na concepção inicial do espetáculo. “A participação do Gandhy e do Cortejo é uma vontade antiga. Quando o projeto de Compadre de Ogum nasceu em 2013, as duas entidades carnavalescas já estavam conosco dando suporte e respaldo. Ou seja, Compadre de Ogum sempre nutriu esse namoro com o Gandhy e o Cortejo. É um retorno às origens e a realização de um sonho”, diz ele.

A cantora Matilde Charles também faz uma participação especial. “Mathilde Charles traz elegância e sofisticação à peça. É um toque de fino trato, um carinho, um amor, uma presença de Oxum, um aprimoramento que estou tendo o grande prazer e a responsabilidade de inserir no ‘Compadre de Ogum’. O canto e a presença de Mathilde, por si só, contaminam e despertam em todos os artistas o que há de melhor em cada um”, enfatiza Edvard.  Além das apresentações, serão realizados dois colóquios na Fundação Casa de Jorge Amado, sobre a obra do grande autor baiano. Os colóquios acontecem nos dias 17 e 24 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca.

Sobre os colóquios

Dia 17 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado – Palestra do diretor Edvard Passos que terá como tema o artigo ‘Compadre de Ogum: o papel da cidade de Salvador e da Igreja Primeira de Santana na construção da poética do espetáculo’. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1:30 hora, o colóquio tem como público-alvo encenadores, estudantes de teatro, arquitetura e urbanismo, dramaturgos e estudiosos da obra de Jorge Amado.

Dia 24 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado Colóquio sobre a obra ‘Os Pastores da Noite’, com participação do diretor Edvard Passos, da diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, Angela Fraga, e de dois escritores convidados. O público presente será incentivado a interagir com os participantes. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1:30 hora, o colóquio tem como público-alvo estudantes de literatura, acadêmicos e estudiosos da obra amadiana.

Sobre Compadre de Ogum

Adaptado da obra de Jorge Amado, dirigido Edvard Passos, indicado a seis Prêmios Braskem em 2015 e vencedor na categoria Melhor Direção, o espetáculo ‘Compadre de Ogum’ narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas, um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho ‘galego’. Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama.

Sucesso internacional, o espetáculo foi debatido em eventos de peso como a Quadrienal de Praga, a Conferência Anual Federação Internacional de Pesquisa em Teatro, em Hyderabad, na Índia e na Conferência Dramatic Architectures, na cidade de Porto, em Portugal. ‘Compadre de Ogum’ foi pensado para a ocupação de espaços não convencionais e a peculiaridade de ter sido montado para ser realizado fora da caixa cênica – a primeira encenação foi feita na Igreja de Santana no Rio Vermelho – chamou a atenção da crítica especializada e de pesquisadores.

‘Compadre de Ogum’ nasceu para homenagear Salvador e coloca em cena 14 atores. “O elenco é um tesouro dessa montagem. Pedras preciosas garimpadas com todo empenho”, completa ele. diz Edvard Passos. “O teatro que eu faço é um teatro de atores. Quando escolho um elenco levo em consideração a qualidade da resposta em cena. A adequação do perfil”. Nesses cinco anos, gostaria de dedicar o trabalho ao elenco e destacar os cinco atores que fizeram todas as apresentações de 2014 até hoje: Zé Carlos Junior, Danilo Cairo, Everton Machado, Leandro Villa e Leomaria Novaes. Estamos todos muito felizes com nosso reencontro, com o retorno de Diogo Lopes Filho ao elenco e com a chegada de novos integrantes, como Anderson Capacete, talentosíssimo percussionista, homem de confiança de Carlinhos Brown, que vai experimentar também o lugar de ator em Compadre de Ogum”. Quero destacar também a garra de Simone Carrera, diretora de produção, que é figura fundamental na renovação e no crescimento dessa trabalho tão Amado”, declara Edvard Passos.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]