Eleições 2018 – Bahia: Deputado Ângelo Coronel diz que PSD vai indicar nome para concorrer ao senado na chapa majoritária liderada pelo governador Rui Costa

Ângelo Coronel: nosso partido deverá indicar um candidato ao senado.

Ângelo Coronel: nosso partido deverá indicar um candidato ao senado.

O deputado Ângelo Coronel (PSD), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), em entrevista exclusiva — concedida nesta quarta-feira (23/01/2018) ao Jornal Grande Bahia (JGB) — afirmou que o PSD, agremiação liderada pelo senador Otto Alencar, vai indicar nome do partido para disputar o cargo de senador, no pleito eleitoral de 2018, na chapa majoritária liderada pelo governador Rui Costa.

Fontes do Jornal Grande Bahia informaram que a chapa majoritária seria composta por Rui Costa (PT), governador; João Leão (PP), vice-governador, Jaques Wagner (PT), senador; e Ângelo Coronel (PSD), senador. Neste contexto, a senadora Lídice da Mata (PSB) não disputaria a reeleição. Ocorre que a socialista tem reiterado apoio à reeleição de Rui Costa e manifestado desejo de disputar reeleição.

Confira a entrevista

Jornal Grande Bahia — Como avalia o cenário político-eleitoral na Bahia?

Ângelo Coronel —  É um cenário que está começando um afunilamento. Para o governo da Bahia existem duas candidaturas postas, praticamente, que é a de Rui Costa (PT) e a de ACM Neto (DEM). Vai ser uma disputa vibrante, porque se trata de dois grandes administradores, o prefeito da capital tem feito um bom trabalho e o governador Rui Costa tem feito um grande trabalho na capital e em todo o estado da Bahia. Mas, nós somos da base do governador Rui Costa, e o nosso partido do PSD, vamos marchar na reeleição de Rui Costa. Nosso partido deverá indicar um candidato ao senado. E nisso aí nós temos que lutar, correr essa Bahia toda para que Rui se reeleja e dê continuidade ao mandato para atender aos anseios da sociedade da Bahia.

JGB — Com relação à sua administração à frente da Assembleia Legislativa da Bahia, o que o destacaria de realização no primeiro ano?

Ângelo Coronel — Primeiro passo o recorde de projeto aprovado na história. Desde que a Assembleia Legislativa da Bahia foi fundada, 2017 foi o ano em que nós aprovamos mais projetos, tanto dos poderes Executivo e Judiciário, como, também, de origem parlamentar.

Aprovamos o plano de cargos e salário. Observe que há 25 anos os salários estavam achatados [abaixo da remuneração ideal], de aposentados e pessoal da ativa; fizemos a primeira devolução de recursos da história da Bahia.

Foram devolvidos R$ 555 mil. O recurso será aplicado na construção de uma UTI no Hospital Irmã Dulce.

Então, são coisas que não existiam na Assembleia que a gente implementou. Espero que esses recordes, que nós atingimos em 2017, a gente tenha condição, junto com nossos colegas, de superar os nossos próprios recordes em 2018.

JGB — Para esse primeiro semestre, quais são as perspectivas em termos administrativos?

Ângelo Coronel — Nós vamos dar continuidade ao programa Assembleia de Carinho, que um caso de sucesso, sendo implantado em nove estados do Nordeste. Onde a Assembleia, pela primeira vez na história, firma convênio com o Hospital Aristides Maltez, Martagão Gesteira, Ana Nery, Grupo de Apoio a Crianças Com Câncer, Grupo de Apoio a Crianças Autistas, demonstrando assim, que a Assembleia pode ser humanizada, que a Assembleia pode ir de encontro à sociedade. Não esperar a sociedade vir à Assembleia, mas invertemos o vetor. Por fim, dizer que nós estamos indo ao encontro da sociedade para ouvir e saber quais são as demandas.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).