“Bancos não cumprem Lei de Cotas para pessoa com deficiência”, diz Augusto Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia

Augusto Vasconcelos: pelas cotas, as empresas deveriam contratar 20.647 empregados, mas são apenas 11.125.

Augusto Vasconcelos: pelas cotas, as empresas deveriam contratar 20.647 empregados, mas são apenas 11.125.

Apesar de apresentar lucros bilionários, os bancos continuam discriminando e não contratam o número correto de pessoas com deficiência. A informação é de Augusto Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia. “O percentual de cumprimento da cota de contratação deste grupo nas cinco maiores organizações financeiras é de apenas 53,9%”, afirma o dirigente sindical.

De acordo com Vasconcelos, os bancos descumprem a Lei 8.213/1991, que estabelece o pleno exercício dos direitos individuais e sociais das pessoas portadoras de deficiências e a efetiva integração social. “Pelas cotas, as empresas deveriam contratar 20.647 empregados, mas são apenas 11.125”, afirmou.

Augusto Vasconcelos salientou que a entidade continua pressionando por igualdade tanto na contratação como no ambiente de trabalho.

 “Os colegas nessa condição cumprem perfeitamente seu papel e assumem com eficiência as tarefas nas agências”, finalizou.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]