UEFS contesta publicação de Antônio José Larangeira no Jornal Grande Bahia sobre Índice Geral de Cursos; reitor informa que avaliação da instituição evoluiu ao longo do tempo

Dados apresentados pela reitoria indicam que o IGC da UEFS evoluiu positivamente, registrando, em 2012, índice de 1,96; enquanto, em 2016, apresentou índice de 2,78.

Dados apresentados pela reitoria indicam que o IGC da UEFS evoluiu positivamente, registrando, em 2012, índice de 1,96; enquanto, em 2016, apresentou índice de 2,78.

Em comunicado realizado nesta terça-feira (05/12/2017), Evandro Nascimento, reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), contesta nota publicada na coluna de Antônio José Larangeira — veiculada na sexta-feira (01/12) no Jornal Grande Bahia (JGB), com o título ‘UEFS cai para o MEC’.

Além de contestar os dados apresentados pelo colunista social, foi requisitado, pelo reitor da UEFS, direito de resposta, com objetivo de prestar informação correta a comunidade sobre as avaliações do Ministério da Educação (MEC) concernentes ao Índice Geral de Cursos (IGC).

Conforme dados apresentados pelo reitor, O IGC da UEFS evoluiu positivamente, registrando, em 2012, índice de 1,96; enquanto, em 2016, apresentou índice de 2,78. Conforme observa-se a seguir:

Nota da reitoria da UEFS

A coluna de Antônio Larangeira no Jornal Grande Bahia, de 01 de dezembro, publicou texto “UEFS cai para o MEC”. Peço direito de resposta pelas seguintes razões:

1- O título é a primeira infelicidade do autor. O IGC da UEFS na avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) tem a seguinte cronologia:

2012 – 1,96

2013 – 2,08

2014 – 2,08

2015 – 2,67

2016 – 2,78

Portanto, está é a informação verídica do MEC sobre a UEFS.

2- Creio que minha imagem pessoal foi atacada, quando o autor conclui o texto dizendo que a UEFS, capitaneada por mim, vai mal.  Vai bem, obrigado e sim senhor!

Termina o ano sem déficit acentuado como em outros anos, graças a uma gestão seria das suas despesas, volta a investir em infraestrutura como divulgado na imprensa na semana passada, e fecha ano com o mínimo de dívidas com fornecedores. Tem corpo docente qualificado para captar 6 mil dólares em livros para a Biblioteca, tem professores que recebem prêmios nacionais de melhor tese, tem alunos premiados em eventos por sua excelência em pesquisa e inovação, entre outras qualidades que não me farão escrever uma lista enfadonha. Essas coisas não são mensuraras no IGC.

O autor foi infeliz por praticar emissão de opinião baseada em análise rasa e sem o mínimo de checagem de dados integrais do INEP. As consequências são a difamação contra a UEFS e seu dirigente máximo, este que se dirige à digna direção do jornal na esperança de acolhimento e tratamento justo.

Cordialmente

Evandro do Nascimento Silva

Reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana

Direito de resposta

O Jornal Grande Bahia assegura direito de resposta às pessoas, instituições, entidades e empresas que desejem expressar versão própria sobre os fatos publicados no veículo de comunicação.

Na produção e veiculação de informações, o direito ao contraditório é fundamental para que o leitor/internauta alcance a dialética do esclarecimento, possibilitando que, ao acessar diferentes dados sobre um mesmo fato, conclua melhor julgamento.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]