Relatório do PNUD aponta onde setor privado brasileiro pode investir melhor em filantropia

Interior do Museu do Amanhã, localizado na Praça Mauá, zona portuária da capital fluminense.

Interior do Museu do Amanhã, localizado na Praça Mauá, zona portuária da capital fluminense.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com a Rockefeller Philanthropy Advisors, lança em 12 de dezembro de 2017, no Rio de Janeiro, o relatório Filantropia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: engajando o investimento social privado na agenda do desenvolvimento global. Divulgação da publicação acontece no Observatório do Museu do Amanhã, das 9h às 12h.

O documento é um esforço de mapeamento da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil por atores de filantropia, empresas e sociedade civil. Aponta onde o setor privado melhor pode investir em termos de filantropia, além de indicar as principais lacunas nesse tipo de investimento.  O relatório foi fruto da parceria de várias fundações nacionais e institutos, como a Fundação Roberto Marinho, a Rede Globo, o Itaú, a Fundação Itaú Social, a Fundação Banco do Brasil e o Instituto Sabin, além de contar com o apoio de associações filantrópicas GIFE, IDIS, WINGS e Comunitas.

A Plataforma de Filantropia é uma iniciativa global que busca encorajar a filantropia e conectá-la ao conhecimento de redes que possam aprofundar a cooperação, alavancar recursos e aumentar seu impacto. O ambicioso esforço da iniciativa é reconhecer os obstáculos e as capacidades de cada país para a filantropia, oferecendo soluções adaptadas a cada contexto local, ao mesmo tempo em que tem os ODS como referência.

No Brasil, a Plataforma da Filantropia foi estabelecida no fim de 2016, sob a coordenação de empresas e organizações parceiras e associações de filantropia, com o apoio do PNUD. Um dos resultados dessa parceria foi a conexão de dados, conhecimentos e redes de práticas para uma compreensão aprofundada do ambiente filantrópico no Brasil, compilados no relatório O documento confirma algumas expectativas, mas também apresenta surpresas de um setor dinâmico que tem ganhado força no Brasil.

O relatório indica, entre outros fatos, que a educação é a área que recebe mais investimento social privado no Brasil (84%), seguido por desenvolvimento profissional e cidadão para jovens (60%) e artes e cultura (51%). A área de Direitos Humanos ganhou força nos investimentos privados, crescendo 14% entre 2014 e 2016. O volume dos investimentos filantrópicos em 2016 foi de R$ 2,9 bilhões, as doações chegam a 0,23% do PIB nacional. Nos Estados Unidos, em comparação, a parcela do PIB doada é de 2%.

*Com informações da Radio ONU.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]