Justiça determina que Banco do Brasil libere empréstimo de R$ 600 milhões para a Bahia; malvadeza de ACM Neto é castigada com derrota

Governador Rui Costa conquista vitória na justiça e passa a contar com R$ 600 milhões para investimento.

Governador Rui Costa conquista vitória na justiça e passa a contar com R$ 600 milhões para investimento.

A Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) julgou procedente o recurso do Agravo de Instrumento impetrado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) no caso do empréstimo de R$ 600 milhões que o governo Rui Costa contraiu junto ao Banco do Brasil, mas nunca recebeu os recursos. O Tribunal entendeu que o julgamento da ação não compete a Justiça Federal e determinou que o  banco seja obrigado a liberar o valor contratado.

 A PGE argumentou, ao contestar a decisão do juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública, que o contrato de empréstimo firmado entre as partes decorreu de atividade econômica desenvolvida pelo Banco do Brasil, sendo que os valores a serem disponibilizados são recursos próprios da instituição, “e não repasses de linhas de crédito, transferências voluntárias ou financiamento da União Federal”, informou Jamil Cabus, procurador responsável pela demanda.

 A Procuradoria também frisou que, após cumpridas todas as etapas e assinado o contrato de empréstimo em agosto de 2017, “o Banco do Brasil vem se recusando a concluir a operação de empréstimo e liberar o financiamento. Desta forma o Banco do Brasil estaria violando os princípios da Constituição Federal, tendo seus gestores agido em desvio de poder ou de finalidade”, pontuou Cabus.

O Banco do Brasil negou o repasse do empréstimo “sem justificativa legal”. A ação impetrada pelo governo na 6ª Vara da Fazenda Pública teve uma decisão do juiz Ruy Eduardo Almeida Britto que protelou o caso. O magistrado, em seu despacho, afirmou que o caso deveria tramitar na Justiça Federal, onde deveria ser avaliado o interesse, ou não, da União no assunto. Diante da decisão protelatória, a PGE entrou com um recurso, que foi apreciado pela Primeira Câmara Cível.

Derrota política, vitória do povo

A decisão judicial impõe derrota à malvadeza política perpetrada pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). Conforme denúncia de parlamentares realizada no plenário do Congresso Nacional, coube “ao anão das planilhas da Odebrecht” a articulação com a finalidade de prejudicar o povo baiano, através da tentativa de sabotagem do governo Rui Costa (PT/BA).

Com a decisão judicial, ACM Neto terá que observar o governador dar sequência aos investimentos que vem realizando no estado, amargando, com isso, a repulsa do povo da Bahia.

Mas, segundo um parlamentar, a perversa ação de ACM Neto parece não ter fim, e verbas federais destinadas à investimentos estaduais estão sendo retidas pelo governo da usurpação democrática, liderado pelo presidente Michel Temer (PMDB/SP), aliado dileto do prefeito de Salvador.

O parlamentar, fonte do Jornal Grande Bahia, lembrou que quando deputado federal, ACM Neto ameaçou agredir fisicamente o então presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT/SP).

“Uma pessoa que demonstra desapreço à autoridade política de um presidente eleito pelo voto popular, que, na sequência, participa da usurpação da República apoiando um governo antidemocrático e que, por fim, com os aliados no comando da República, atua para prejudicar um governo popular, mas, cujo efeito prático é a negação de investimentos necessários ao povo da Bahia, certamente, é uma pessoa que merece o repúdio da população brasileira”, afirmou o parlamentar.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]