Feira em história: TV Subaé, uma história de sucesso | Por Adilson Simas

A sede da TV Suabé fica na Avenida Presidente Dutra, próximo do cruzamento com a Avenida Maria Quitéria, em Feira de Santana.

A sede da TV Suabé fica na Avenida Presidente Dutra, próximo do cruzamento com a Avenida Maria Quitéria, em Feira de Santana.

Com passagem por vários jornais e revistas da cidade, fundador e atual chefe de redação da TV Suabé, o jornalista Marcílio Costa ressalta em artigo a importância para Feira de Santana, o advento há quase três décadas, em junho de 1988, da emissora afiliada à Rede Globo de Televisão. Vale a pena ler de novo o artigo ‘Tv Subaé, uma história de sucesso’, do premiado profissional da comunicação:

Feira de Santana antes e depois da TV Subaé. Certamente não é nenhum exagero fazer esta divisão dada a importância da chegada da primeira emissora da Rede Globo ao interior da Bahia em primeiro de junho de 1988. A TV Subaé representou não apenas a conexão do sertão baiano à maior rede de TV do pais. Foi muito mais do que isso se a gente levar em conta o que ela traduziu para a economia, a cultura, o esporte e para a vida da cidade como um todo, que a partir dali pode dar vez e voz a suas demandas e passou a contar com uma aliada para todas as horas.

A primeira grande marca da TV Subaé na vida de Feira de Santana já se fez sentir logo na sua inauguração. Era ano de eleição para prefeito e estava inaugurado o palanque eletrônico no maior colégio eleitoral do interior do Estado. Um aprendizado para todos. Nós da TV aprendendo a dar os primeiros passos na cobertura jornalística de um evento de tamanha envergadura.

Foi marcante realizar o primeiro debate ao vivo com os candidatos, assim como foi determinante e emocionante divulgar as primeiras pesquisas eleitorais. Um tempero que elevou a temperatura eleitoral às altura. De outro lado, os partidos políticos tendo que conviver com o horário eleitoral gratuito na telinha. Os grandes comícios davam lugar aos embates eleitorais, algo totalmente novo para os candidatos. Colbert Martins e Sergio Carneiro protagonizaram este embate com a vitória do ex-prefeito numa disputa fantástica que entrou para a história política do município.

O comércio de Feira, que já era o carro-forte da economia do município, ganhou um impulso extraordinário. O comerciante de Feira poderia a partir daquele momento anunciar na maior rede de televisão a um custo muito inferior ao que era disponível antes. Mágica? Nada. Era uma questão matemática resolvida pela regionalização da TV. Até então uma empresa de Feira só tinha como anunciar nas emissoras da capital, mas o custo era fora da realidade local. Pagava-se o preço de falar com o Estado inteiro quando a necessidade era falar com quem morava em Feira e região. A conta não fechava e não valia o investimento porque o retorno não seria suficiente para cobrir os custos. Por isso, eram poucas empresas que utilizavam este recurso e mesmo assim esporadicamente.

Ter uma emissora regional resolveu o problema e abriu a possibilidade de anunciar até para lojas de menor porte. O resultado imediato que só uma emissora de TV com a força da Globo poderia trazer era o que o mercado precisava e a TV Subaé se tornou uma aliada não só desse segmento da economia. Temos história de empresas que cresceram a partir da chegada da TV Subaé e anunciam na emissora desde o primeiro momento.

Se existia empresa para anunciar, precisava de agência de publicidade para produzir o material. Começava uma verdadeira revolução no mercado publicitário. Antes restrito a duas ou, no máximo três agências, o número atual pode ser contado em dezenas. Gerou emprego para muita gente e a força que o mercado precisava para que nascessem agências de qualidade, bem como produtoras e outros profissionais envolvidos com o mercado de comunicação. Não é à toa que a cidade tem dois cursos de publicidade. Sem medo de errar afirmo que a chegada da TV Subaé foi determinante para esta realidade no mercado de comunicação que temos atualmente na cidade.

A arte e a cultura de Feira são um capítulo à parte nesta história. Desde o primeiro momento a TV Subaé abriu todo espaço para mostrar nossos artistas. Apoiou e apoia todas as manifestações, seja institucionalmente através de seus projetos ou, principalmente, nos telejornais da emissora, onde a diversidade de manifestações é uma marca que sobrevive nestes 26 anos.

O jornalismo também é outro em Feira após a chegada da TV Subaé. Lembro a dificuldade para formar profissionais nos primeiros momentos. Eu mesmo sou fruto dessa nova realidade, visto que minha experiência era toda com impresso. Fazer parte da equipe desde o primeiro momento, quando aqui chegaram os profissionais da Globo que treinaram os primeiros profissionais locais e formaram a equipe inicial do jornalismo da TV Subaé, me permite traçar um paralelo entre o antes e depois. Já tínhamos uma imprensa forte, principalmente através do pioneirismo do Jornal Feira Hoje. Mas a TV Subaé deu a oportunidade para que todos nós avançássemos no aperfeiçoamento da profissão. E isso se multiplicou através dos profissionais formados ali, que espalharam a experiência para outros veículos.

De Feira para o mundo. A TV Subaé abriu as portas para mostrar as coisas de Feira para o Brasil e também para outros países através da Globo Internacional. A nossa Micareta ganhou muito mais com esta exposição. Entramos ao vivo no Faustão, no Fantástico, matérias em todos os telejornais da rede. Certamente ajudou a espalhar a festa para outras regiões do país. Nestes 26 anos foram inúmeras as vezes que a TV esteve presente no noticiário nacional.

Lembro-me de matérias como o ‘Pelotão Mundico’, criado pelo Exército com meninos; a orquestra de violino que tinha aula no quintal da casa do maestro, isso sem falar nas incontáveis vezes que estivemos presentes no Globo Rural. Como esquecer a cobertura do sequestro comandado por Leonardo Pareja que atraiu a atenção do Brasil inteiro durante três dias?

A TV Subaé nasceu com 14 municípios, mas hoje chega a mais de 50 e atinge uma população de 2 milhões de pessoas com seu sinal digital já difundido para a região. Desde 1998 integra a Rede Bahia, numa associação com o Grupo Modesto Cerqueira. A TV Subaé chegou a Feira através do empenho do empresário Modezil Cerqueira, um verdadeiro idealista que se empenhou com todo o seu empreendedorismo para implantar o sinal da Globo. Ele dotou a cidade de uma emissora que nós podemos nos orgulhar não apenas pela sua qualidade tecnológica. Desde os primeiros passos obedecemos a uma diretriz fundamental: a ética.

Não foi à toa que em seu primeiro pronunciamento no programa inaugural da emissora ele firmou compromisso pela verdade. Nada mais que a verdade.

*Adilson Simas é jornalista.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]