EUA estão preparados para ‘destruir totalmente’ a Coreia do Norte, diz presidente Donal Trump na ONU

Diante das Nações Unidas, o presidente americano Donald Trump disse que os Estados Unidos estão prontos para “destruir totalmente” a Coreia do Norte caso seja “forçado” a defender a si e a seus aliados.

“Estamos prontos, dispostos e aptos (a atacar a Coreia do Norte), mas esperamos que não seja necessário. Vamos ver como eles se saem”, afirmou, antes de pedir que os países do mundo trabalhem para “isolar” o líder coreano.

Em seu primeiro discurso na 72ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Trump falou sobre a ameaça de “países erráticos” e mencionou também o Irã e a Síria.

O americano também fez piada com o líder norte-coreano Kim Jong-un, chamando-o de “rocket man” (“homem do foguete”, em tradução livre) e dizendo que ele está em uma “missão suicida”.

Nas últimas semanas, a Coreia do Norte tem feito testes de bombas e mísseis desafiando os Estados Unidos, as sanções da ONU e também os pedidos da China, seu principal aliado.

Trump afirmou que países de culturas e valores diferentes devem ser capazes de conviver como nações soberanas, mas também criticou duramente o Irã, que chamou de uma “ditadura corrupta que exporta violência, sangue e caos”.

Ele pediu que Teerã deixe de “apoiar grupos terroristas” e disse que os EUA podem desistir do acordo feito com o Irã durante o governo Obama caso o país continue desenvolvendo um programa nuclear.

“Este foi o pior acordo em que os Estados Unidos já entraram. Francamente, é uma vergonha e vocês ainda vão ouvir falar muito disso”, disse.

‘Ideologia fracassada’

O presidente também reservou críticas ao governo de Nicolás Maduro, na Venezuela, que disse ter “destruído uma nação por meio de uma ideologia fracassada que trouxe pobreza a todos os lugares onde foi implementada”.

“O problema não é que o socialismo tenha sido implementado. É que ele tenha sido fielmente implementado”, afirmou, arrancando aplausos de parte da plateia.

Trump pediu que a ONU “faça mais” para lidar com a crise política e econômica no país e afirmou que, além das sanções já impostas, os EUA “estão preparados para fazer mais”.

A terceira “nação errática” mencionada pelo presidente foi a Síria e o “regime criminoso de Bashar al-Assad” – que ele acusou de usar armas químicas contra a população.

Ao falar dos conflitos no Oriente Médio e no norte da África, Trump disse que os EUA gastam milhões para “apoiar a volta dos refugiados para seus países de origem”.

“Pelo custo de assentar um refugiado nos Estados Unidos, assentamos dez em suas nações ou em locais próximos. A migração descontrolada é ruim para os países que enviam e também para os que recebem”, afirmou.

Discurso de Trump é som de cachorro latindo, diz ministro da Coreia do Norte

A primeira reação oficial do governo norte-coreano, ao discurso do presidente Donald Trump proferido na terça-feira (19/09/2017), mostrou que a Coreia do Norte parece não ter se intimidado pelas novas ameaças do presidente americano, feitas durante sua estreia na terça-feira (19/09/2017), no debate geral de líderes da 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU).  O ministro de Negócios Estrangeiros do país, Ri Yong-Ho, disse aos jornalistas que Trump “está sonhando se pensa que surpreendeu a Coreia com o seu discurso de cachorro latindo”.

Em uma conversa de improviso em frente ao hotel em que está hospedado perto da sede das Nações Unidas em Nova York, ele usou o ditado “enquanto os cachorros latem, a caravana passa”, para dizer que as novas ameaças de Trump não farão com que Pyongyang desista de seus testes nucleares e desenvolvimento de misseis de longo alcance.

Não há sinal de que o país pense em deixar o programa nuclear. Ao mesmo tempo em que na península, os aliados, Estados Unidos, Japão e Coreia do sul mantiveram nesta terça-feira  exercícios militares próximos à fronteira.

Homem-foguete

Durante a rápida conversa com jornalistas, o ministro norte-coreano também foi perguntado sobre o apelido que Trump deu ao líder norte-coreano Kim Jong-Um, perante os líderes nas Nações Unidas, dos líderes – Rocket Man, “homem foguete”, o ministro apenas disse: “lamento por seus assessores”.

Trump disse na ONU que Kim Jong-Un “é um homem foguete em uma missão suicida”. Mas internamente no país, o apelido explodiu nas redes sociais e na imprensa. Rocket Man também é o título de um dos mais famosos sucessos do artista britânico Elton John.

No Twitter, vários memes sobre o apelido, com Kim Jong-Un em um foguete, além de montagens do rosto de líder norte-coreano no corpo do astro Elton John, tocando sua canção.

Um artigo da rede CNBC elogiou o apelido dado por Trump, ao dizer que ele fez uma provocação sem ser vulgar. A CNBC disse que ele foi “brilhante”. Donald Turmp é reconhecido por dar apelidos, e criar títulos que caem no gosto de seus seguidores. Uma herança de sua carreira comercial.

Há vários exemplos de situações em que Trump colocou apelidos depreciativos em adversários ou opositores. Ele apelidou Hillary Clinton de Robô Clinton. E recentemente criou um apelido para o apresentador e jornalista,  Chuck Todd, âncora de um programa da rede NBC uma das maiores do país. Após ser criticado pelo programa, Trump escreveu no Twitter que Chuck Todd era o Sleep eyes (olhos dormentes).

*Com informações da BBC Brasil e da da Agência Brasil.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]