Dia Municipal da Capoeira é comemorado com sessão solene na Câmara Municipal de Feira de Santana

Câmara Municipal de Feira de Santana realiza sessão solene em comemoração ao Dia Municipal da Capoeira.

Câmara Municipal de Feira de Santana realiza sessão solene em comemoração ao Dia Municipal da Capoeira.

A Câmara Municipal de Feira de Santana promoveu nesta quinta-feira (23/11/2017) sessão solene em comemoração ao Dia Municipal da Capoeira, atendendo a Lei de nº 2418/2013. A mesa de honra da solenidade foi composta pelo presidente do Legislativo feirense, vereador José Carneiro Rocha (PSDB); o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, representando o prefeito José Ronaldo de Carvalho; a presidente do Núcleo Odungê, Lourdes Santana; e os palestrantes Antônio Carlos das Neves, mestre de capoeira; e Geovana Ferreira da Silva, assistente social. A sessão foi presidida pelo vereador João dos Santos (João Bililiu, PPS).

Ao saudar os presentes, o presidente da Câmara, José Carneiro Rocha, relatou um pouco da história da capoeira e destacou a sua contribuição para o resgate da cultura, dos valores e para formação do povo brasileiro. “A capoeira é revolucionária porque contesta os valores impostos pelas classes dominantes da sociedade, pois suas origens são da luta contra a dominação. A importância da capoeira para o povo é grande, traduz história, luta, afirmação, cidadania e a busca da igualdade social”, afirmou.

Antonio Carlos das Neves, o mestre Bendengó, levou para a tribuna da Casa o som do berimbau como forma de saudação a todos os mestres de capoeira e demais presentes na sessão. O mestre pontuou a importância do dia dedicado à modalidade, criado no ano de 2003, como forma de valorização e reconhecimento e sugeriu a inclusão da capoeira no currículo escolar do Município.

“Hoje temos 237 engenhos catalogados e daí nasce a nossa capoeira com ânsia de liberdade para o nosso povo. Tudo que fazemos com a capoeira tem os seus elementos, e são esses elementos que formam a cultura. Considerada atividade física, a capoeira é mais que isso, é parte da cultura do nosso povo”, destacou lembrando que “a capoeira é luta de libertação”.

A assistente social Geovana Ferreira da Silva explicou a atuação do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento das Comunidades Negras e Indígenas e ressaltou a importância de combate do preconceito e valorização da cultura regional. “O nosso papel é divulgar, avaliar e fiscalizar o cumprimento da Política de promoção da Igualdade Racial, voltada para a promoção e a defesa dos direitos étnicos individuais e coletivos, além de combater a discriminação e as demais formas de intolerância étnica”, pontuou.

A presidente do Nucleo Odungê, Lourdes Santana, parabenizou a Casa pela realização da sessão solene e lamentou a ausência de representantes do movimento negro de Feira de Santana. “Feira de Santana está perdendo muito porque existem pessoas usando de forma indevida o nome da capoeira. Lourdes convocou as comissões temáticas da Casa a atuarem de forma mais efetiva nas ações de combate ao preconceito racial.

O vereador Cadmiel Pereira (PSC) ao parabenizar a Casa pela solenidade, lembrou que em 3 de agosto é comemorado o dia do capoeirista em todo o país e em 2008 a capoeira foi reconhecida Patrimônio Cultural brasileiro pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). O edil é autor do Projeto de Lei nº 30/2017, que institui a Semana Municipal da Capoeira.

“A Semana Municipal da Capoeira, que passa a ser comemorada anualmente na segunda semana do mês de agosto tem por objetivo fomentar e difundir a prática da capoeira no Município e homenagear os ícones desse esporte. Essa semana deverá ser comemorada com a realização de seminários, aulas, palestras, rodas de capoeira, dentre outras ações. Temos que avançar e criar um debate de incentivo ao ensino da capoeira e formação profissional dentro das unidades municipais, visando o fortalecimento desta manifestação cultural”, afirmou.

O advogado do Conselho Municipal de Igualdade Racial, Albertone Amorim parabenizou o crescimento da capoeira, que vem se fazendo presente em diversos países e alertou a sociedade para a importância do respeito e resgate dos valores e tradições africanas. “Precisamos começar a buscar nossa identidade de dentro de casa. Lutar contra esse preconceito. Já não cabe mais tanta resistência e preconceito contra o nosso povo negro”, concluiu.

A solenidade, animada por ritmos entoados ao som do berimbau, caxixi, atabaque, pandeiro e do agogô, foi prestigiada por vereadores, capoeiristas, lideranças políticas, profissionais da imprensa e representantes da sociedade civil.

 

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]