Rio de Janeiro: ex-prefeito Eduardo Paes nega irregularidades em obras do Porto Maravilha

Em 7 d emaio de 2016, o então prefeito Eduardo Paes inaugurou trecho da Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde, que ligará o Armazém 8 ao Museu Histórico Nacional em 3,5km. Empreendimento que faz parte do Projeto Porto Maravilha.

Em 7 d emaio de 2016, o então prefeito Eduardo Paes inaugurou trecho da Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde, que ligará o Armazém 8 ao Museu Histórico Nacional em 3,5km. Empreendimento que faz parte do Projeto Porto Maravilha.

Armazéns 1 e 6 do Cais do Porto, próximo à Avenida Rodrigues Alves, no Rio de Janeiro.

Armazéns 1 e 6 do Cais do Porto, próximo à Avenida Rodrigues Alves, no Rio de Janeiro.

Em depoimento à Justiça Federal em Brasília, o ex-prefeito do Rio de janeiro, Eduardo Paes (PMDB/RJ), negou ter conhecimento de um esquema de corrupção para revitalização do Porto Maravilha, obra projetada para a Olimpíada.

Paes prestou depoimento nessa quarta-feira (05/07/2017) por meio de videoconferência como testemunha de defesa do ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba.

A ação apura um suposto esquema de corrupção no Fundo de Investimentos do FGTS, administrado pela Caixa Econômica Federal.

Esse esquema de corrupção, segundo o Ministério Público, era feito com recursos do fundo para as obras.

O deputado cassado Eduardo Cunha, o ex-ministro Henrique Alves, o doleiro ligado à Cunha Lúcio Funaro e mais 2 empresários são acusados de receber propina para viabilizar projetos como a revitalização do Porto.

Paes negou também que Cunha e Alves tenham participado do projeto.

O ex-diretor da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Júnior afirmou, em delação premiada, que a empreiteira pagou R$ 19 milhões a Eduardo Cunha para que o ex-deputado ajudasse na liberação de recursos do FI-FGTS para obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

A defesa do ex-deputado Eduardo Cunha ainda encaminhou nessa quarta-feira (05/07/2017) um questionário ao presidente Michel Temer, que também é testemunha de defesa de Cunha.

Neste mesmo processo o ex-presidente Lula e o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, também prestaram depoimento como testemunhas de Eduardo Cunha.

Eduardo Cunha, Henrique Alves e Marcelo Odebrecht estão presos.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]