Por orientação do prefeito ACM Neto, presidente Michel Temer boicota a Bahia em empréstimo de R$ 600 milhões, denuncia deputado Robinson Almeida

Articulação política de ACM Neto, em tentar vetar os recursos para o Governo da Bahia, evidência grave falta de apreço ao povo baiano.

Articulação política de ACM Neto, em tentar vetar os recursos para o Governo da Bahia, evidência grave falta de apreço ao povo baiano.

Em nota, encaminhada nesta sexta-feira (21/07/2017) ao Jornal Grande Bahia, o deputado Robinson Almeida (PT) denunciou a articulação da “trinca do golpe” — ACM Neto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB) e Antonio Imbassahy (PSDB) — por agirem com a finalidade de determinar que o presidente Michel Temer (PMDB/SP) vete o empréstimo de R$ 600 milhões para o Estado da Bahia. O recurso é destinado à recuperação de estradas, e investimentos em saúde e educação, a serem realizados pelo governo Rui Costa (PT).

Confira a nota

Temer boicota a Bahia porque ACM Neto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB) e Antonio Imbassahy (PSDB) fazem oposição ao governo do estado. Essa é uma orientação política dessa trinca do golpe na Bahia.

Ocupando funções importantes no governo Temer, DEM, PMDB e PSDB, ao invés de ajudar a Bahia, tem jogado contra. Recentemente, em jantar entre Neto, Temer e Imbassahy, foi colocado na mesa o veto ao empréstimo de R$ 600 milhões para o governo do estado aplicar na recuperação de estradas, saúde e educação.

Nunca ter visitado a Bahia e Minas Gerais, governados pelo PT, depois de mais de um ano no poder, mostra o modo Temer de governar: discriminação, ausência de realização e perseguição política.

Robinson Almeida

Deputado Federal PT/BA

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).