Planserv abraça a campanha ‘Julho Amarelo’

O Ministério da Saúde (MS) adotou julho como o mês de luta e prevenção das hepatites virais.

O Ministério da Saúde (MS) adotou julho como o mês de luta e prevenção das hepatites virais.

O Ministério da Saúde (MS) adotou julho como o mês de luta e prevenção das hepatites virais. A campanha, batizada de “Julho Amarelo”, é apoiada pelo Planserv, que entende a importância de estimular a prevenção, o controle e o enfrentamento dos cinco principais tipos de hepatites virais (A, B, C, D e E). Caracterizada pela inflamação do fígado, a hepatite é uma doença que raramente apresenta sintomas no início. Muitas pessoas só percebem que estão doentes quando a doença já está avançada e apresenta complicações.

 De acordo com a gastro enterologista do Planserv, Tatiana Dantas, realizar o diagnóstico precoce é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências. “Os sintomas mais comuns das hepatites agudas são icterícia (olhos amarelados), falta de apetite, dores musculares, febre, náuseas ou vômitos, mal estar, urina escura, fezes claras, manchas na pele e dor na apalpação da região do fígado. O diagnóstico é feito através de testes específicos, todos disponíveis, inclusive, na rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

As Hepatites B, C e D, transmitidas através do sangue e secreções de pessoas infectadas geralmente são crônicas e podem evoluir para uma cirrose hepática ou câncer de fígado. Entre as medidas que podem evitar a transmissão destacam-se: usar preservativo em todas as relações sexuais; exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e piercings; não compartilhar instrumentos de manicure, agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.

Segundo Tatiana Dantas, as Hepatites A e E, transmitidas por via fecal-oral, mais comuns em crianças, são agudas e quase sempre curadas espontaneamente pela defesa do próprio organismo. “O saneamento básico e hábitos de higiene são medidas importantes para evitar esses tipos da doença”, destacou a médica.

O ato de lavar as mãos antes de preparar os alimentos, antes de comer e após usar o banheiro é fundamental para a prevenção. Além disso, lavar frutas e verduras e deixá-las em solução de hipoclorito de sódio por cerca de 30 minutos, cozinhar bem os frutos do mar e a carne de porco e beber água tratada são atitudes fundamentais na prevenção da Hepatite A e E.

A maioria das hepatites é tratada com medicações. A vacina contra a Hepatite B é recomendada para as populações vulneráveis, em especial, profissionais do sexo e usuários de drogas, além dos profissionais de saúde. A vacina faz parte do calendário de vacinação da criança e do adolescente desde meados de 2012. Todo recém-nascido deve receber a primeira dose logo após o nascimento. Além das hepatites causadas por vírus, há casos de inflamações do fígado decorrentes do uso de remédios, álcool e outras drogas. Algumas doenças autoimunes, metabólicas e genéticas também podem favorecer o surgimento de hepatopatias.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]