Deputado Robinson Almeida critica decisão do juiz Sérgio Moro ao afirmar que “Lula é inocente, crime é condená-lo sem provas”

Juiz Sérgio Moro e o senador Aécio Neves (PSDB) em momento de íntimo diálogo. O senador é investigado no Caso Lava Jato e foi citado por funcionários da Odebrecht como corrupto, receptador de propina. Juiz de primeira instância Sérgio Moro transforma direito em obrigação, evidenciando uma vez mais a parcialidade.

Juiz Sérgio Moro e o senador Aécio Neves (PSDB) em momento de íntimo diálogo.

Em nota, enviada nesta quarta-feira (12/07/2017), ao Jornal Grande Bahia, o deputado Robinson Almeida (PT/BA) criticou a atuação do juiz federal Sérgio Moro, na condução do processo judicial contra o ex-presidente Lula. Na avaliação do parlamentar, comete crime o juiz, ao condenar uma pessoa inocente sem provas.

O comentário é decorrente da sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro, nesta quarta-feira (12), condenando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex no Guarujá. A ação judicial foi decorrente das investigações do Caso Lava Jato.

Confira o teor da nota ‘Lula é inocente, crime é condená-lo sem provas’

Encalacrado no seu próprio enredo, Moro condena Lula sem provas. O triplex do Guarujá não é e nunca foi propriedade do presidente. Certamente Lula será absolvido no julgamento imparcial de segunda instância.

O juiz Moro construiu um caminho sem volta em relação ao julgamento de Lula. Desde o vazamento ilegal de áudio da conversa entre Lula e Dilma, passando por uma arbitrária condução coercitiva, com planejamento de prisão no aeroporto de Congonhas, Moro deixou nítida a sua parcialidade na liderança desse processo.

Depois de quase dois anos de tentativa de produção de provas, não foi possível comprovar a materialidade de crime cometido por Lula. Sem saída, Moro cometeria o suicídio jurídico se não conclui-se a sua novela de enredo pre-determinado. É um julgamento político que deve ser repudiado por todo povo brasileiro.

Moro foi derrotado recentemente no Tribunal Federal de Justiça da quarta região, em Porto Alegre. Os juízes resolveram absolver Vaccari Neto, do PT, pelo óbvio motivo de Moro tê-lo condenado sem provas. Deve ter o mesmo resultado o julgamento do recurso de Lula que irá para esse Tribunal.

Prove antes de condenar, Moro.

Robinson Almeida, deputado Federal PT-BA

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).