Dica gramatical: a expressão ‘logo menos’ faz sentido em português? | Por Diogo Arrais

Diogo Arrais é professor de Língua Portuguesa do Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) e autor de obras para concursos públicos.

Diogo Arrais é professor de Língua Portuguesa do Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) e autor de obras para concursos públicos.

Nesta semana, recebi, por uma das minhas mídias sociais, a seguinte dúvida: “Qual é a lógica no uso da expressão LOGO MENOS, cada vez mais comum por parte de apresentadores de TV?”

LOGO, como advérbio, significa imediatamente, sem tardança: “Cumpre ir logo chamar o médico.”

Na Língua Portuguesa falada no Brasil, a locução “logo mais” indica “mais tarde”, “daqui a alguns minutos”, “daqui a pouco”, “em tempo imediatamente seguinte a outro”, “numa série”, “após”.

Vale um lembrete: “daqui a”, para indicar tempo ou distância”, nunca deve ser utilizado com o verbo haver “há”. É sempre com a preposição A, em função da relação futurística: “Daqui a pouco, estaremos em nossa escola.”, “Daqui até à praia, vai-se a pé.”

Com o passar do tempo, surgiram diversas locuções (conjunto de palavras) em união a LOGO:

“Até logo mais”: sinônimo de “até logo”, cumprimento de despedida que se usa quando se espera rever proximamente o interlocutor; até mais tarde; até breve.

“Desde logo”: desde aquele momento; logo, portanto.

“Logo que”: no momento em que; assim que; mal. Cita o Aurélio, a esse uso, um trecho machadiano, com as Crônicas de Lélio: “Ontem, logo que tive a notícia da crise ministerial, recolhi-me a casa para esperar os acontecimentos.”

“Logo, logo”: com a maior urgência; imediatamente; já, já.

“Para logo”: sem demora, de pronto.

“Tão logo”: mal, apenas; logo que: “Acendia, tão logo anoitecia, todas as lamparinas da casa.”

Portanto, “logo mais” tem relação lógica com “daqui a mais algum tempo”, sendo incoerente a troca do “mais” por “menos”, em “logo menos”. Se o fato ocorrerá “daqui a mais alguns minutos”, haverá “mais”, e não “menos” tempo. Como afirmou Sérgio Rodrigues, em artigo sobre o mesmo tema: “‘logo menos’, analisados friamente seus termos, não faz sentido algum.”

Sobre O CPJUR

Com foco no desenvolvimento de estudantes e profissionais de todo o Brasil que buscam capacitação e aprimoramento de conhecimentos na carreira jurídica publica ou privada, o Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) promove cursos para o Exame da OAB, Concursos Públicos e Pós-graduação nas modalidades presencial, telepresencial e online. Com investimentos na qualidade de seu corpo docente, formado pelos principais juristas do Brasil; profissionais de atendimento com vasta e comprovada experiência no segmento; salas de aula com padrão de excelência e moderna tecnologia de transmissão, visa oferecer soluções inovadoras e adaptadas às necessidades de mercado, com a personalização e atualização constante exigida pelo ramo do Direito.

*Diogo Arrais é professor de Língua Portuguesa do Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) e autor de obras para concursos públicos.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]