Deputado Carlos Geilson diz que UEFS, ao completar 41 anos, não tem muito o que comemorar

Vista aérea do campi da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Vista aérea do campi da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) completa 41 anos de instalação nesta quarta-feira (31/05/2017). Para o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), que é ex-aluno da instituição, as atuais dificuldades enfrentadas pela unidade de ensino impedem a plena celebração da data.

“A Uefs alcançou o patamar de uma das instituições públicas de ensino superior mais respeitadas do país, porém a atual realidade da instituição não condiz com a importância que ela tem. O que se vê com frequência são greves do pessoal da limpeza e de vigilantes, além de professores e estudantes insatisfeitos. Diante desse quadro, não há muito o que festejar”, declara Geilson.

Nesta terça-feira (30), professores, estudantes e servidores técnicos da Uefs protestaram contra a precarização da unidade de ensino em frente à Prefeitura Municipal. Entre as reivindicações dos manifestantes estão o aumento do orçamento da universidade, recomposição salarial de 30,5%, reajuste linear, retorno do adicional por insalubridade e ampliação da assistência ao estudante.

“A Uefs é um patrimônio da nossa educação. Ela transformou minha vida e a de milhares de pessoas que nela se formaram. Nossa universidade deve ser tratada com mais atenção pelo poder público”, conclui o parlamentar.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).