Defesa do suplente de deputado Rocha Loures apresenta pedido de liberdade ao STF

Rodrigo Santos da Rocha Loures, suplente de deputado federal (PMDB/RS), recebe ordem de prisão de ministro do STF.

Rodrigo Santos da Rocha Loures, suplente de deputado federal (PMDB/RS), recebe ordem de prisão de ministro do STF.

A defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) apresentou na segunda-feira (05/06/2017) pedido de liberdade ao Supremo Tribunal Federal (STF). Loures foi preso no último sábado (3), por determinação do ministro Edson Fachin, e está detido na Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

O ex-deputado foi flagrado pela Polícia Federal (PF) recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada na delação premiada da JBS. O ministro atendeu a um pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Segundo o procurador, a prisão de Loures é “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”.

O pedido foi feito após o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio voltar para o cargo de deputado federal pelo PMDB do Paraná. Com o retorno, Loures, que era suplente de Serraglio, perdeu o foro privilegiado.

Rocha Loures será transferido para a Papuda na quarta-feira

O ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) só será transferido para a penitenciária da Papuda, em Brasília, na próxima quarta-feira (7). A informação é da Polícia Federal (PF). Rocha Loures está preso na Superintendência da PF e deverá prestar depoimento até quarta-feira.

A prisão preventiva do ex-parlamentar foi solicitada na noite de sexta (2), em mandado assinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sustentou em seu pedido que a prisão de Loures era “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”. O ex-deputado foi preso às 6h, em sua residência.

Ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Rocha Loures foi flagrado pela PF recebendo em São Paulo uma mala com R$ 500 mil que, segundo delações de executivos da JBS feitas no âmbito da Operação Lava Jato, seriam dinheiro de propina.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]