Coelba nega corte de cabos de voz e dados de empresas de internet de Salvador e diz que procedimento objetiva retirar cabos inativos e equipamentos instalados à revelia

Fiação inadequada em postes da rede elétrica apresenta risco para população.

Fiação inadequada em postes da rede elétrica apresenta risco para população.

Em nota, emitida nesta terça-feira (14/06/2017), a concessionária pública de energia Coelba nega que esteja retirando cabos de voz e dados de empresas de internet, instalados na rede de postes de energia elétrica de Salvador.

Segundo a empresa, “o trabalho de reordenamento das fiações nos postes da distribuidora foi iniciado no final de 2015 e consiste na identificação, retirada de cabos inativos e equipamentos instalados à revelia, coordenação e monitoramento das ações de regularização do cabeamento das telecomunicações e de organização das situações como emaranhados de fios, exposição de riscos de acidentes e poluição visual na cidade”.

Confira nota ‘A Coelba esclarece’

*Não está realizando corte indevido de cabos de empresas de internet em Salvador. O trabalho de reordenamento das fiações nos postes da distribuidora foi iniciado no final de 2015 e consiste na identificação, retirada de cabos inativos e equipamentos instalados à revelia, coordenação e monitoramento das ações de regularização do cabeamento das telecomunicações e de organização das situações como emaranhados de fios, exposição de riscos de acidentes e poluição visual na cidade.

*O objetivo é ordenar as instalações de telecomunicações nos postes da rede elétrica e promover a segurança da população e dos profissionais de todas as empresas que acessam os postes da Coelba, além de diminuir o impacto visual provocado pelo desordenamento da rede de telecom. Fiações irregulares e desordenadas estão mais sujeitas a risco de queda, de se entrelaçar em veículos altos, por causa, muitas vezes, da altura inadequada e de inclinação do poste por excesso de peso.

*A distribuidora nunca se negou a conversar e negociar com as empresas para garantir a regularização no compartilhamento dos postes. As empresas que, por algum motivo, estejam utilizando os postes de forma irregular, ou seja, com cabos instalados sem o conhecimento da Coelba, ou sem autorização de funcionamento da Anatel, devem procurar a concessionária, imediatamente, para regularizar a situação

*Ressaltamos ainda que não há novas regras em vigor, a Coelba coloca em prática as regras já existentes, desde 2014, da Aneel e Anatel, agências reguladoras do setor de energia e telefonia, respectivamente. Todo o trabalho feito pela Coelba é realizado com comunicação prévia e em conjunto com as empresas de telecomunicações.

* Em reunião ocorrida em 12/06 com representantes do sindicato e associações de provedores de internet, com a presença de um representante da Anatel, a Coelba explicou a importância de seguir a legislação vigente e os procedimentos para regularização. Também ficou acordado entre as partes um prazo de 90 dias para a regularização, a partir do diagnóstico apresentado pela Coelba. Todo o procedimento para o reordenamento dos cabos de provedores de internet nos postes será acompanhado em conjunto pela Coelba, o sindicato e as associações representantes dos provedores.

*Somente em 2016, foram ordenados 45 Km de cabos de telefonia e telecomunicações em 11 grandes corredores viários de Salvador e retiradas cerca de 1,5 toneladas de materiais das redes de telefonia/telecomunicações instalados irregularmente.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]