ALBA: deputado Targino Machado critica severamente ministros do STF, presidente Michel Temer e anistia concedida aos irmãos Batista

Targino Machado : estas decisões, que beneficiaram tanto ao bandido Joesley Batista quanto ao malandro presidente da República, Michel Temer, precisam ser revistas.

Targino Machado : estas decisões, que beneficiaram tanto ao bandido Joesley Batista quanto ao malandro presidente da República, Michel Temer, precisam ser revistas.

Durante pronunciamento realizado nesta segunda-feira (12/06/2017) no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) — ao analisar recentes episódios do Caso Lava Jato, desdobramentos das investigações e a atuação de magistrados — o deputado Targino Machado (PPS) criticou severamente a composição do Supremo Tribunal Federal (STF) e a forma como os ministros são indicados. “Há de se estabelecer, de forma urgente, um novo critério para preenchimento de vagas nos tribunais, pois quando a política entra nos tribunais, a justiça sai correndo pelas janelas”, afirmou.

Na sequência, Targino Machado avaliou a atuação do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), durante o julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) da chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). “Que comportamento é aquele? Que pena, ainda vamos ter que aturar vossa excelência vestido nesta toga até 2030. Este foi o maior crime perpetrado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que fez de vossa excelência ministro Gilmar Mendes herói e protagonista de uma história diabólica”, declarou.

O deputado concluiu o discurso lamentando a manutenção do mandato do presidente Michel Temer e a anistia concedida aos executivos do Gupo J&F, os irmãos Joesley e Wesley Batista, beneficiários do acordo de delação encaminhado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao STF. “Nós brasileiros, tementes a Deus, estamos condenados a viver neste inferno de corrupção, injustiças e malandragem, muito embora o malandro que deu tantos prejuízos ao Brasil, Joesley Batista obteve desta justiça brasileira o perdão judicial em decisão monocrática. Isto é uma vergonha!”, inferiu, indignado.

Confira o discurso do deputado Targino Machado

Temos uma suprema corte de justiça, o STF, com uma composição imoral, desacreditada, senão vejamos: 1 ministro indicado por José Sarney, 1 outro ministro indicado por Fernando Collor de Melo, 1 outro ministro indicado por Fernando Henrique Cardoso, 3 ministros indicados por Lula, 4 ministros indicados pela ex-presidente Dilma e 1 ministro indicado pelo Temer. Só pelo critério da indicação, os personagens já entram no STF carimbados de dúvidas, de vícios, enfim, de compromissos políticos espúrios. Há de se estabelecer, de forma urgente, um novo critério para preenchimento de vagas nos tribunais, pois quando a política entra nos tribunais, a justiça sai correndo pelas janelas.

Qual isenção para julgar podem ter magistrados escolhidos a dedo para os tribunais, pelo critério das relações de proximidade, pelo critério de amizade e confiança dos políticos que os indica? Como eles poderão julgar os seus benfeitores de forma isenta, justamente aqueles que lhe deram emprego e a suas familiares benesses várias, bem assim, por fim, de presente um emprego vitalício nos tribunais?

Assistimos ao julgamento pelo TSE da chapa Dilma/Temer na semana passada, que se transformou num espetáculo ridículo e nojento ao mesmo tempo, que feriu de morte a imagem do poder judiciário brasileiro. Quanto cinismo! Quanta desfaçatez assistimos através da televisão!

O que é aquilo, ministro Gilmar Mendes? Que comportamento é aquele? Que pena, ainda vamos ter que aturar vossa excelência vestido nesta toga até 2030. Este foi o maior crime perpetrado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que fez de vossa excelência ministro Gilmar Mendes herói e protagonista de uma história diabólica. Enfim, o ministro Gilmar Mendes entende bem de tudo, sendo capaz de fazer um discurso em defesa de Deus e outro em defesa do Diabo. E por falar em Diabo, o Diabo no Brasil não tem chifres, não tem rabo pontiagudo e nem carrega tridente, pois a sua Indumentária no Brasil é uma toga!

Enquanto isto, nós brasileiros, tementes a Deus, estamos condenados a viver neste inferno de corrupção, injustiças e malandragem, muito embora o malandro que deu tantos prejuízos ao Brasil, Joesley Batista obteve desta justiça brasileira o perdão judicial em decisão monocrática. Isto é uma vergonha!

Só encontro uma explicação para este Michel Temer não ter sido atirado ao inferno: é que o diabo está vestido literalmente de toga e não deseja a companhia deste Temer.

Estas decisões, que beneficiaram tanto ao bandido Joesley Batista quanto ao malandro presidente da República, Michel Temer, precisam ser revistas. Assim espero! O Brasil assim espera!

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]