ALBA: deputado Carlos Geilson apela ao entendimento para acabar greve dos vigilantes

Deputado Carlos Geilson apela ao entendimento.

Deputado Carlos Geilson apela ao entendimento.

Um apelo ao imediato entendimento entre trabalhadores e empresários, para pôr fim à greve dos vigilantes baianos, que na terça-feira (06/05/2017) entrará no vigésimo dia, foi feito pelo deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), nesta segunda.

Segundo ele, o prolongamento da greve vem prejudicando bastante a população, uma vez que a paralisação tem resultado no fechamento de agências bancárias e do INSS – neste último caso, impedindo a realização de perícias e dificultando a obtenção de benefícios previdenciários por trabalhadores.

Além disso, a paralisação também tem reflexos nas universidades estaduais, museus e outros órgãos públicos, que foram forçados a suspender atividades, o que aumenta ainda mais os prejuízos para o cidadão.

Geilson observou que até o momento não há nenhum sinal de entendimento entre trabalhadores e empresários, o que sinaliza um prolongamento da paralisação dos vigilantes além do que seria razoável, com prejuízos para todos, sobretudo para o cidadão comum.

O impasse maior diz respeito ao reajuste salarial. Os trabalhadores, que recebem um piso de R$ 1.002 mensais querem um reajuste de 7%, mas as empresas oferecem apenas 1%, ou seja, apenas R$ 10 de aumento, valor que o Sindicato dos Vigilantes considera “quase humilhante”, avaliação que é compartilhada pelo deputado.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).