Vereador comenta uso do aplicativo Uber em Feira de Santana

Cadmiel Pereira: isso é normal. O que não é normal é não atender às leis.

Cadmiel Pereira: isso é normal. O que não é normal é não atender às leis.

O vereador Cadmiel Pereira (PSC) abordou, em seu discurso na manhã desta segunda-feira (08/05/2017), na Câmara Municipal de Feira de Santana, a chegada do Uber a Feira de Santana, ocorrida na última semana. Cadmiel ressaltou que não tem nada contra o desenvolvimento e crescimento da sociedade e a instalação de equipamentos com sistema de tecnologia que traga avanços. “Todavia há que se respeitar uma cidade, uma gestão, um prefeito, uma Câmara de Vereadores e não podemos aceitar a imposição sorrateira, calada e sombria, que só aparece através de um aplicativo, sem saber quem são, de onde vêm, para onde vão e quem está à frente”, criticou.

A preocupação do vereador é que se acontecer qualquer problema não terá como se identificar qual o carro é e o seu dono, pois as autoridades não possuem esses dados, o que não acontece com os taxistas porque o Governo Municipal sabe o nome de todos que atuam na cidade e ainda a identificação da placa e a ordem do veículo.

“Eles passam por vistoria, pelo conhecimento de todos porque existe uma lista da concessão pública na Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito”, justificou o edil.

Ainda segundo Cadmiel, o prefeito José Ronaldo de Carvalho, respeitador da classe dos taxistas e das leis que operam na cidade, já declarou que até então o Uber é um sistema clandestino. “E é, porque a SMTT não tem conhecimento. Não houve nenhum contato, nenhum acesso, não foi trazido a essa Casa o pedido para que haja funcionamento de tal como uma categoria ou modalidade de transporte público. Então, assim sendo, torna-se clandestino”, completou.

Conforme o vereador, nenhum edil, deputado ou senador é contra as novas modalidades que vão se estabelecendo na sociedade, seja BRT, VLT ou Uber, mas a forma com que se dá a implantação, o regime pelo qual há uma execução de um serviço em um Município, não pode acontecer ao bel prazer pela cabeça de pessoas que, inclusive, não se sabe nem quem são. “Faço o pedido de que a SMTT haja com rigor fazendo valer as leis do Município, respeitando principalmente os taxistas e mototaxistas; o transporte coletivo, que atende uma licitação pública atendendo a lei em vigor e rege as concessões e serviços públicos”, pediu.

Cadmiel ressaltou que o prefeito não aceitará que o Uber chegue a esta cidade sem respeito às leis municipais.

Em aparte, o vereador Marcos Lima (PRP) frisou a importância do assunto abordado pelo colega e destacou que, infelizmente, o novo sistema de transporte é uma realidade no mundo, pois oferta um serviço de qualidade com valor acessível. “É difícil conseguirmos reverter esta situação. Cidades como São Paulo e Rio de Janeiro não conseguiram. Vamos aguardar os próximos capítulos desta novela que começa em Feira de Santana”, disse.

De volta com a palavra, Cadmiel garantiu que o objetivo não é barrar o funcionamento do Uber, mas legalizar o sistema. “Isso é normal. O que não é normal é não atender às leis”, finalizou.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]