Patriarca São José, protegei nossa família

Vou revelar um segredo: São José é o verdadeiro (bom) santo casamenteiro. Na tradição brasileira, quem leva essa fama é o Senhor Santo Antônio. Sim, aquele bondoso santo atende corações aflitos e solitários que buscam um casamento…Todavia, como Patriarca da Família, os casamentos sólidos e duradouros são mediados pelo Senhor São José.

São José

São José

No 19 de março se comemora o Dia do Senhor São José, esposo de Maria de Nazaré e pai do Menino Jesus. Ele, o Patriarca da Cristandade, é um modelo e exemplo de pai a seguir.

Guiado pelo Santo Anjo do Senhor, José, que era homem justo e de bem, obedeceu ao Divino Pai:

— José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo de seus pecados.

E assim foi: o Patriarca da Sagrada Família — Jesus, Maria e José — desde este dia os protegeu e cuidou.

Quando a sua família se viu ameaçada pelo sanguinário rei Herodes, que mandou sacrificar os inocentes em Belém, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse:

— Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito e fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para o matar.

José levantou-se durante a noite, tomou o menino e sua mãe e partiu para o Egito. Ali permaneceu até à morte de Herodes, quando voltou para a Judeia.

José, esposo de Maria e pai de Jesus, o criou e proveu com dignidade, apesar da pobreza material em que viviam. Pai zeloso, transmitiu o seu ofício de carpinteiro a Jesus, cumprindo assim uma importante missão paterna: a educação dos filhos.

Pela fidelidade a sua esposa e dedicação paternal a Jesus, o Senhor São José é o “Padroeiro das Famílias”.

Para cumprir a nobre missão de paternidade, os pais se tornam responsáveis pela criação e educação dos filhos. Lhes guiar no caminho da Paz, do Amor, da verdade e da justiça. E José Carpinteiro é a referência maior.

Aos filhos cabe honrar os seus pais. Lembremos do Quinto Mandamento de Deus: “Honra a teu pai e a tua mãe para que se prolonguem os teus dias na terra”. É dever dos filhos respeitá-los, estimá-los e obedecê-los. Só desta maneira o jovem será um indivíduo bem integrado na família e na sociedade.

E qual o dever dos pais? Muitos dos deveres dos filhos, com acréscimos: amá-los, estimá-los, respeitá-los, protegê-los, provê-los e muitas… muitas atribuições mais.

São José Operário é tido como “Padroeiro dos Trabalhadores”. É a ele que o trabalhador desempregado, explorado, recorre em busca de proteção e conforto.

No Nordeste brasileiro, roga-se ao Santo protetor que mande chuva para o sertão, pois é época de plantio do feijão e do milho, para a colheita e festa de São João.

Chuvas abundantes em março — pela graça de Deus e intercessão do Senhor São José — significa ano de fartura, cacimbas cheias, gado gordo e boas colheitas.

São José é o verdadeiro santo casamenteiro

E aqui vou revelar um segredo: São José é o verdadeiro (bom) santo casamenteiro. Na tradição brasileira, quem leva essa fama é o Senhor Santo Antônio. Sim, aquele bondoso santo atende corações aflitos e solitários que buscam um casamento…

Todavia, como Patriarca da Família, os casamentos sólidos e duradouros são mediados pelo Senhor São José. É provado e comprovado. Dou o exemplo de um querido e feliz casal de amigos.

O pequeno empresário do ramo de joalheria, Túrio Pelegrino (nome fictício), solitário e triste na sua solteirice, certa noite se aproximou do sagrado altar de sua modesta mansarda e, frente a uma imagem de São José e uma fotografia do Mestre Irineu — fundador da Doutrina do Daime —, rogou ao prestimoso santo:

— Senhor São José, não me deixe passar os festejos do seu dia sozinho. Por favor me envie uma companheira para cantar o ‘Hinário do Mestre’ juntos.

Voltou ao seu escritório. Surpreendentemente, o esquecido e empoeirado aparelho de fax tinha sido acionado. Nesta era de e-mails e redes sociais o fax tinha entrado rapidamente em desuso.

Na mensagem do fax, vinha escrito um convite: a sua participação no ritual de Hinário (bailado) do Mestre Irineu, na noite de São José. Assinava a missiva a empresária rural Marcela Marques, amiga de infância.

Túrio imediatamente pensou: minhas preces foram ouvidas! Com esta mulher casarei. E como não a encontrava a muitíssimos anos, afirmou: não importa que seja bonita ou feia; jovem ou idosa; gorda ou magra… com esta casarei.

Túrio rodou cerca de 500km até chegar na localidade, Chapada Celestial. A senha para a imediata empatia, “amor à primeira vista”, foi quando ele declarou:

— Fui enviado pelo Senhor São José!

Marcela Marques, que para sua feliz surpresa era jovem, bonita e magra, apaixonou-se naquele mesmo instante. Havia sido orientada por uma amiga:

— Rogue por um (bom) marido a São José! Santo Antônio atende também, claro. Mas na urgência de satisfazer o pedido das devotas ele, às vezes, não escolhe muito. Mas o companheiro certo e duradouro peça a São José.

Amém!

Padroeiro da Boa Morte

O Senhor São José é também o “Padroeiro da Boa Morte”, pois na tradição cristã acredita-se que o seu espírito abandonou o corpo físico rodeado por seu Divino Filho Jesus Cristo e Sua Divina esposa Nossa Senhora da Conceição.

Quem pode ter tido uma tão boa morte como José?

Por tudo isso, nesta sagrada data de 19 de março, vamos louvar e venerar o Patriarca São José.

Senhor São José, lá nas Alturas onde estás, protegei e guarnecei a nossa família.

Amém Jesus, Maria e José.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Facebook do JGB

Publicações relacionadas

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: juarezbomfim@uol.com.br.