O Brasil foi à bancarrota

Artigo analisa relação entre crise nacional e Governo Temer.

Artigo analisa relação entre crise nacional e Governo Temer.

O golpe desenvolvido no Brasil pelos partidos de direita, com apoio da grande mídia e dos coxinhas, levou o País à bancarrota – quebrou. O resultado das eleições de 2014 que definiram a reeleição da presidente Dilma Rousseff, foi o estopim para um bando de irresponsáveis, comandados por Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso e com o apoio das Organizações Globo da família Marinho, disseminar uma balburdia por todo território nacional, impossibilitando a presidente reeleita governar o País.

Um desastre econômico-financeiro assola a economia brasileira até os dias de hoje e vem cada vez mais piorando, sem que vejamos uma chance de reverter este quadro. A única possibilidade de livrar o País da derrocada financeira e dos sequestros dos direitos sociais em médio prazo seria com “eleições diretas já”, tirando os bandidos que se alojaram no poder; com isso  o povo deixaria de ser massacrado – pagando a conta – o tempo todo.

A gestão Temer/Meireles pode ser medida através dos resultados das vendas de fim de ano. Em alguns dos grandes mercados consumidores e nas lojas fora de Shopping Centers, a queda em referência ao mesmo período de 2015, foi por volta de até -40%. Um prejuízo para o empresariado que nesta época tem que pagar, além dos vencimentos dos seus funcionários, o décimo terceiro salário.

Após o pior Natal das últimas décadas, os indicadores econômicos mostram a catástrofe econômica estabelecida no Brasil pelo golpe da direita zona sul; o Índice de Confiança da Indústria (ICI) do Brasil caiu em dezembro para o menor patamar desde junho passado, informou nesta segunda-feira a Fundação Getúlio Vargas.

“O resultado da sondagem industrial de dezembro, com queda da confiança e nível recorde de ociosidade, joga um balde de água fria sobre indicadores que já estavam mornos”, afirmou a coordenadora da Sondagem da Indústria da FGV/IBRE, Tabi Thuler Sant.

Conforme análise de alguns economistas: “a depressão econômica provocada pelo impeachment já derrubou a economia brasileira em mais de 10%”. O próprio Henrique Meireles, Ministro da Fazenda deste governo irresponsável, já admitiu que o primeiro trimestre de 2017 já está perdido. Segundo Temer, só deve ter uma reação no segundo semestre. Imagine! Pode crer que, se não houver eleição direta já, todo ano de 2017 estará perdido.

Pode-se classificar o Brasil de hoje, como um Titanic agonizando em pleno naufrágio. O que a dupla que gere a quadrilha do planalto brasileiro passa para a população é que não trouxeram de volta e nem vão trazer, a confiança prometida. Simplesmente mostraram que são expert em aprofundar o País em recessão e desemprego.

Segundo analise do deputado Henrique Fontana (PT-RS), acredita que o governo Temer já caiu e que, em 2017, será inevitável ter novas eleições diretas para presidente da República: “Imagina dizer ao povo brasileiro que quem vai eleger o próximo presidente da República são esses 513 deputados. Esse parlamento, do qual eu faço parte, está desmoralizado”, afirma o deputado.

O ano de 2016 fechou com a trágica notícia de que 18.1 mil lojas estão sendo fechadas; o volume de vendas nos shoppings caiu em 3.20% em relação ao ano anterior, conforme nota da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping – Alshop.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.