Um documento importante | Por Helder Alencar

Artigo ‘Um documento importante’ foi publicado por Helder Alencar no jornal impresso Feira Hoje.

Artigo ‘Um documento importante’ foi publicado por Helder Alencar no jornal impresso Feira Hoje.

Com o título ‘Um documento importante’, no sábado, 4 de agosto de 1973, na coluna “Pois é” que assinava no jornal Feira Hoje, o jornalista, advogado, escritor e historiador Helder Alencar brindou os leitores com este artigo que vale a pena ver de novo:

– As desavenças políticas, lideradas pelo cel. Quintiliano Martins da Silva, e o acentuado progresso do Arraial, muito contribuíram para que a sede fosse transferida do núcleo inicial, em São José das Itapororocas para Santana da Feira, criando-se em 1823, 13 de novembro, instalando-se em 18 de setembro de 1833, a Vila Nova de Santana da Feira.

As lutas políticas decorreram durante a década de vinte do século passado e o progresso do Arraial também acentuou-se nesta época, pois em 1819, quando aqui estiveram os sábios Von Sjoc e Von Martius, nada tinha para ser apresentado. Tanto que em seus relatórios de viagem, os sábios falam, apenas, em um pequeno lugarejo, o que nos faz acreditar ser o desenvolvimento muito lento e muito vagoroso naquele começo de século.

Progrediu, contudo, o arraial, a ponto de superar São José das Itapororocas, sede da Vila, núcleo central, ponto dirigente da política e da religião, situado na área desmembrada por João Peixoto Viegas e sua mulher. Peixoto Viegas mantinha inúmeros contatos com os índios Paiaiás, usando-os, inclusive, para desbravar terras onde ele julgava ter minas.

Um dos documentos mais importantes para a criação da Vila e do Município da Feira e Santana encontra-se no Arquivo Público do Estado, às páginas 46 e 46 v., das Correspondências para o Governo Imperial, 1830 – 1831.

A carta, datada de 9 de junho de 1830, é assinada pelo Presidente da Província da Bahia, Luiz Paulo de Araujo Bastos e endereçada ao Marquês de Caravelas.

É a recomendação da Província para que o Arraial de Santana da Feira passasse de distrito a Vila. É de suma importância e são poucos os que dele têm conhecimento. O documento é assinalado com os dizeres: Império Nº 41.

Eis a sua íntegra:

“Ilmo. e Exmo. Snr.

Parece não haver dúvida que a povoação da Feira de Santa Ana, distrito da Vila de Cachoeira desta Província, está em circunstâncias de ser erigida em Vila, pelo grande número de seus habitantes e vantajoso comércio que tem, conforme resolveu o Conselho do Governo em sessão ordinária de 3 do corrente ande foi presente o aviso expedido em 13 de julho do ano passado, pelo antecessor de V. Excia. Acompanhando a representação junta aos povos daquele distrito, sobre a qual precedera informação do Ouvidor desta Comarca que também vai inclusa. O que sim me cumpre participar.

Deus guarde a V. Excia.

Palácio do Governo da Bahia, 9 de junho de 1830.

Ilmo. e Exmo. Snr. Marquês de Caravelas. O Presidente Luiz Paulo de Araujo Bastos.”

Inegavelmente este documento muito contribuiu para que o distrito passasse a Vila. Foi a recomendação oficial. A palavra do Presidente da Província, após ter ouvido o Conselho do Governo, que, por seu turno, baseou-se na Informação do Ouvidor da Comarca.

Teve, pois, o Presidente da Província da Bahia, em 9 de junho de 1830, participação direta na criação da Vila Nova da Feira. Falava no progresso, mas, por certo, não sonhava que a Feira que ele ajudou a transformar em Município, atingiria, anos depois, este magnífico estágio de desenvolvimento, evolução e progresso, que assombra a muita gente, particularmente aos que não estão preparados para acompanhar a sua vertiginosa ascensão.

*Adilson Simas é jornalista e publica histórias sobre a cidade de Feira de Santana. Nessa aspecto, republicou artigo de Helder Alencar.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]