Papa Francisco sugere que sentido da vida está na simplicidade

Na Missa do Galo, o papa Francisco criticou, no Vaticano, o consumismo e o materialismo.

Na Missa do Galo, o papa Francisco criticou, no Vaticano, o consumismo e o materialismo.

O papa Francisco voltou a criticar o consumismo e o materialismo. Ao celebrar a Missa do Galo, na noite deste sábado (24/12/2016), na Basílica de São Pedro, no Vaticano, ele declarou que o real sentido do Natal foi usurpado pelo comércio.

“Hoje, o Natal se torna uma festa onde os protagonistas somos nós […] As luzes do comércio põem na sombra a luz de Deus; nos afanamos com as prendas e ficamos insensíveis a quem está marginalizado. Esta mundanidade fez refém o Natal; é preciso libertá-lo!”, disse.

Durante a missa, o papa citou as “miseráveis manjedouras de dignidade” em alusão às crianças que, fugindo às guerras e conflitos regionais, se escondem “em um “abrigo subterrâneo para escapar aos bombardeamentos, na calçada de uma grande cidade, no fundo de um barco sobrecarregado de migrantes”.

Noite de luz e glória

Segundo o papa, o Natal, enquanto celebração do nascimento de Jesus Cristo, deveria ser uma noite de luz e glória que traz consigo o sabor da esperança, mas também da tristeza provocada pela rejeição inicial ao menino Jesus.

“Deus não se manifestou no salão nobre de um palácio real, mas na pobreza de um curral; na simplicidade da vida; não no poder, mas numa pequenez que nos deixa surpreendidos. [Assim], se queremos festejar o verdadeiro Natal, contemplemos este sinal: a simplicidade frágil de um pequenino recém-nascido”, comentou o papa, incentivando os cristãos a “deixar as ilusões do efêmero para ir ao essencial”.

“[Para encontrar Deus] É preciso renunciar às nossas pretensões insaciáveis, abandonar aquela perene insatisfação e a tristeza por algo que sempre nos faltará. Nos fará bem deixar estas coisas para reencontrar na simplicidade de Deus-Menino a paz, a alegria, o sentido luminoso da vida”, concluiu.

Papa fala de Síria e terrorismo em mensagem de Natal

O papa Francisco fez um apelo de paz “a todos os povos do mundo” neste domingo (25/12/2016), em sua tradicional mensagem de Natal e benção Urbi et Orbi. A informação é da Agência Ansa.

Da sacada da Basílica de São Pedro, no Vaticano, o líder católico disse esperar que a “mensagem de Natal percorra toda a terra e atinja todos os povos, especialmente os feridos pelas guerras e conflitos, e que eles sintam mais forte o desejo da paz”. Francisco citou as principais zonas de guerra atualmente no mundo e pediu que os líderes mundiais, políticos e religiosos se esforcem para estabelecer acordos de paz e de respeito aos direitos humanos. “Paz aos homens e mulheres da golpeada Síria, onde tanto sangue já foi derramado, principalmente em Aleppo, palco nas últimas semanas de uma das batalhas mais atrozes”, disse o papa.

“É cada vez mais urgente que se garanta assistência à esgotada população civil, respeitando o direito humanitário”, pediu Francisco, referindo-se aos confrontos registrados recentemente entre forças leais do ditador Bashar Al Assad e grupos rebeldes que controlavam a cidade de Aleppo. “Que as armas sejam depostas de maneira definitiva e que a comunidade internacional aja ativamente para alcançar uma solução negociada que restabeleça a convivência civil”, disse.

Francisco também citou a Terra Santa, a África, ressaltando a situação da Nigéria, do Sudão do Sul e da República Democrática do Congo. Ele se recordou ainda das crises na Ucrânica, Venezuela e Myanmar, pedindo paz. “Paz a quem foi ferido ou perdeu uma pessoa querida por causa de atos hediondos de terrorismo, que disseminaram medo e morte no coração de tantos países e cidades”, afirmou. “Paz aos abandonados, excluídos, aqueles que sofrem de fome e àqueles que são vítimas de violência”.

Uma das principais bandeiras de seu pontificado, a crise de refugiados e imigrantes que atinge a Europa também apareceu no discurso de Natal do papa Francisco. “Paz aos refugiados e aos povos que sofrem com as ambições econômicas de povos e a ávida ganância do ‘Deus dinheiros'”. De acordo com a Santa Sé, cerca de 40 mil pessoas acompanharam a mensagem natalina de Francisco.

Ontem à noite (24), Francisco presidiu a “Missa do Galo”, que marca a celebração da véspera de Natal, na Basílica de São Pedro. Durante a homilia, o papa disse que o “Natal virou refém da mundanidade” e criticou as trocas de presentes e o consumismo nesta data.

*Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]