Ex-primeira-dama do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo está sozinha em cela para internas com nível superior

Adriana Ancelmo está sozinha em cela para internas com nível superior.

Adriana Ancelmo está sozinha em cela para internas com nível superior.

A advogada Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, está sozinha em uma das celas da Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste da capital Fluminense. Ela foi presa ontem (06/12/2016) por suspeita de crime de lavagem de dinheiro e associação à organização criminosa, segundo investigações da Polícia Federal que originaram a Operação Calicute.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), ela está presa na galeria para internas com nível superior, onde há nove celas e 18 vagas. Por haver apenas sete internas no local, Adriana pode ficar sozinha na cela de 6 m² que tem uma beliche de alvenaria, um chuveiro, uma pia e um dispositivo sanitário no chão.

Ainda segundo a secretaria, Adriana passa bem e se alimentou normalmente. Ela terá direito a visitas que serão cadastradas e terão suas carteirinhas de visitante expedidas em um prazo de até quinze dias, no mesmo procedimento feito para todos os internos. Até o momento, ela não recebeu visitas, informou a Seap.

As denúncias do Ministério Público Federal (MPF) apontam que Adriana participou do desvio de milhões de reais de dos cofres públicos em compras de joias sem nota fiscal. Ainda segundo o MPF a ex-primeira-dama usava codinomes para comprar as joias e assim ter seu nome ocultado das transações. O dinheiro seriam de propinas pagas à organização criminosa liderada pelo ex-governador.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]