Deputado Targino Machado espera aprovação de requerimento na ALBA para caçar supersalários nos três Poderes e critica duramente ausência de parlamentares no plenário

Targino Machado: As aberrações nesta Casa não são de estranhar. O que se há de estranhar nesta Casa, na verdade, é quando as coisas andam nos trilhos. O que se há de estranhar nesta Casa é um plenário cheio.

Targino Machado: As aberrações nesta Casa não são de estranhar. O que se há de estranhar nesta Casa, na verdade, é quando as coisas andam nos trilhos. O que se há de estranhar nesta Casa é um plenário cheio.

O deputado estadual Targino Machado, em discurso no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) nesta segunda-feira (19/12/2016), voltou a pedir celeridade da Casa na aprovação do requerimento, solicitado por ele há algumas semanas, para apurar e caçar os supersalários nos três Poderes do estado.

O parlamentar ainda citou a matéria “A farra dos Marajás”, publicada na revista Veja da última semana, em que aponta um juiz federal baiano que recebe quase R$ 200 mil de salários.

“Há três semanas que venho de Feira de Santana para Salvador, abandonando minha agenda das terças-feiras pela manhã, e bato com a cara na porta da sala da Comissão da Mesa Diretora fechada, onde temos lá um requerimento solicitando abertura da Comissão Especial para apurar os supersalários dos três Poderes. E a revista Veja desta semana já traz uma matéria intitulada “A farra dos Marajás”, apontando um juiz federal baiano que recebe R$ 198 mil de salário. Juiz bem-sucedido, com uma conta bancária cheia, e a Assembleia Legislativa da Bahia sem apurar essas imoralidades. Essa Casa precisa dar uma resposta à sociedade”.

Ainda de acordo com Targino, a Casa não vem produzindo como se deveria, prejudicando a população baiana.

“As aberrações nesta Casa não são de estranhar. O que se há de estranhar nesta Casa, na verdade, é quando as coisas andam nos trilhos. O que se há de estranhar nesta Casa é um plenário cheio. O que se observa na Casa são plenários sempre vazios. Eu sabia, e avisei aqui na última semana, que o açodamento para se votar tudo em uma noite daria nisso. Era a fase preparatória para a migração dos deputados que queriam entrar de férias antecipadamente, começar já desde a quinta-feira passada e o povo que se exploda”, disse.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).