Centro Comercial Popular de Feira de Santana: IPAC não vê “óbice para readequação do espaço”, comenta prefeito José Ronaldo

Prefeito José Ronaldo avalia que o IPAC não cria óbice à construção do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.

Prefeito José Ronaldo avalia que o IPAC não cria óbice à construção do Centro Comercial Popular de Feira de Santana.

Está nas mãos do prefeito José Ronaldo parecer do Instituto o Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) sobre a patrimonialização do Centro de Abastecimento de Feira de Santana. Em ofício, o diretor geral do órgão, João Carlos Cruz de Oliveira, atesta não haver empecilhos para readequação do espaço.

O relatório foi feito a partir de visita técnica e análises realizadas tendo à frente a Diretoria de Preservação do Patrimônio Cultural do IPAC, com o objetivo  de verificar o impacto que representaria a construção do Centro Comercial Popular nas imediações do Centro de Abastecimento, especialmente em vista da reclamação de alguns comerciantes do setor de artesanato. Os técnicos receberam do Governo todos os documentos e informações solicitados referentes ao projeto.

Na visita as lojas de artesanato, eles relatam que apesar de ter sido em uma segunda-feira (principal dia de movimento de público no Centro de Abastecimento), não apresentou um grande fluxo de público consumidor. Porém, assinala o IPAC, “é um local importante, tanto para o armazenamento de matéria prima como o fabrico das peças de artesanato em couro e outras modalidades”.

Havia uma solicitação ao IPAC, da Associação dos Artesãos de Feira de Santana, de Registro Especial do Centro de Abastecimento como patrimônio imaterial da Bahia. Processo foi aberto para apurar as condições e visita técnica realizada por representantes da Gerência de Patrimônio Material, Gerência de Patrimônio Imaterial e Diretoria de Preservação do Patrimônio.

O resultado dessa análise foi a concessão do Registro Especial Provisório do entreposto na condição de Espaço Destinado a Práticas Culturais Coletivas. “Isto representa um certo grau de proteção, mas como o que se está procurando salvaguardar são as práticas, saberes e modo de fazer, não identificamos nenhum óbice para a readequação do espaço para as práticas, desde que essas estejam garantidas e não haja interrupção”, afirma o relatório.

Leia +

Centro Comercial Popular de Feira de Santana passa por ajustes, empreendimento terá apenas um pavimento e artesanato ganha área exclusiva

Centro Comercial Popular de Feira de Santana: IPAC não vê “óbice para readequação do espaço”, comenta prefeito José Ronaldo

Centro Comercial Popular de Feira de Santana fica “ainda mais imponente” e é integrado ao Centro de Abastecimento, avalia secretário Antonio Carlos Borges Júnior

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]