Tabaco pode matar 1 bilhão de pessoas ainda no século 21

Tabaco pode matar 1 bilhão de pessoas ainda neste século.

Tabaco pode matar 1 bilhão de pessoas ainda neste século.

Alerta é da Convenção para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde, OMS, se padrões atuais de consumo persistirem; novo projeto apoiará países em desenvolvimento para implementar tratado.

Se os padrões atuais de consumo de tabaco persistirem, o produto matará cerca de 1 bilhão de pessoas ainda neste século. O alerta é da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde, OMS.

Países em desenvolvimento receberão apoio para implementar a convenção. Cento e setenta e nove países e a União Europeia fazem parte da plataforma que, segundo a agência da ONU, é o melhor instrumento para garantir o controle do tabaco em todo o mundo.

Novo projeto

Através desse novo projeto da Convenção, em parceria com o Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, e outros parceiros, alguns países de rendas média e baixa poderão receber apoio direto para implementar estratégias e políticas de controle do tabaco.

A OMS afirmou que, até 2030, mais de 80% das mortes relacionadas ao tabaco serão em países de rendas baixa e média. O tratado é um plano, com base em evidências, para políticas de controle ao produto.

Desenvolvimento

Em geral, os danos significativos do tabagismo nos países em desenvolvimento são entendidos como principlamente uma questão de saúde o que, negligenciaria o impacto do tabaco no progresso “social, econômico e ambiental”.

Para a OMS, o controle do tabaco é uma questão de desenvolvimento e seu sucesso depende do trabalho de setores como comércio, finanças, justiça e educação.

Por isso, segundo a agência, a comunidade internacional concordou em incluir a implementação da convenção da OMS nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Apoio

Países receberão apoio para criar e fortalecer mecanismos de coordenação entre os setores para implementar a convenção, incluindo obrigações de banir a propaganda e promoção, garantir que os pacotes tenham alertas de saúde, banir o fumo em espaços públicos fechados e de trabalho, aumentar impostos sobre tabaco e proteger politícas de saúde pública da interferência da indústria do produto.

O projeto de cinco anos será desenvolvimento com financiamento do Reino Unido.

Promovendo o novo projeto, o Secretariado afirmou que a implementação do tratado é fundamental para desenvolvimento sustentável

Para a chefe do Secretariado da Convenção, Vera Luiza da Costa e Silva, o novo projeto leva a implementação do tratado a “um outro nível” ao fornecer apoio e orientação a países em desenvolvimento.

Ela ressaltou que a implementação da convenção é “fundamental para o avanço do desenvolvimento sustentável”.

*Com informação da Radio ONU.

Outras publicações

Pacientes tem direito a medicamentos contra Hepatite C pelos planos de saúde | Por Luciano Correia Bueno Brandão Luciano Correia Bueno Brandão é advogado especialista em Direito à Saúde, do escritório Bueno Brandão Advocacia. Estima-se que ao menos 200 milhões ...
Jornada de perda de peso é concluída com cirurgia de contorno corporal É muito importante que o paciente submetido a uma cirurgia antiobesidade realize as cirurgias plásticas necessárias, no momento apropriado, apenas co...
Governador Rui Costa sanciona lei que cria Consórcios Interfederativos de Saúde Matéria de dois anos de funcionamento do Hospital do Subúrbio. O governador Rui Costa sancionou, conforme publicação no Diário Oficial do Estado des...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br