Salvador: Câmara de Conciliação de Saúde vai garantir acesso facilitado da população a serviços e medicamentos

Deputado Marcelo Nilo, desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago e governador Rui Costa.

Deputado Marcelo Nilo, desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago e governador Rui Costa.

Para reduzir a quantidade de processos no judiciário baiano, evitando gastos públicos provocados pelas ações judiciais na área da saúde, que correspondem a 70% da demanda, foi inaugurada no SAC do Shopping Bela Vista, em Salvador, na noite desta sexta-feira (25/11/2016), a Câmara de Conciliação de Saúde (CCS). A unidade extrajudicial – a terceira do país – funcionará em caráter experimental inicialmente apenas na capital baiana, prestando atendimentos a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no que tange a obrigatoriedade de cessão de medicamentos por parte do Estado e dos municípios para pacientes portadores de doenças crônicas.

O Governador Rui Costa, que participou da inauguração da Câmara de Conciliação de Saúde, comenta sobre a urgência dessa implantação, devido à relevância em todo o Brasil. “Esta é uma questão relevante em todo o país, que já havia sido mencionada em reunião entre os governadores e o STF. A judicialização na saúde é um tema dominante e precisa ser evitada para os casos em que não é necessária. Só tem um ganhador com a judicialização: o fabricante. Porque muitas vezes eles não participam do processo licitatório, deixam faltar o fornecimento e a população é empurrada para judicializar. O Estado acaba comprando ao preço que eles querem fornecer porque tem um prazo de cumprimento da liminar, que é de 72 horas”, explicou o governador.

A CCS segue uma orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que foi adotada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), conjuntamente com o Tribunal de Justiça (TJ/BA), Ministério Público (MP/BA), Procuradoria Geral do Estado (PGE), Defensorias Públicas do Estado e da União (DPE e DPU) e Secretaria Municipal de Saúde de Salvador. O serviço integrado tem como objetivo a conciliação pré-processual, evitando, desta maneira, a judicialização da demanda, como explica a presidente do TJ, Maria do Socorro Santiago. “A partir de dados estatísticos, constatamos que na capital, as questões relacionadas à área de Saúde eram a de maior demanda no judiciário. Então reunimos estas entidades para realizar este trabalho que vai garantir a saúde que a população tanto precisa”, afirma.

Somente em 2014, foram judicializadas 3338 ações na Bahia, entre demandas relacionadas à oferta de medicamentos, intervenções cirúrgicas e agendamento de exames que provocou um gasto extra ao governo estadual de R$ 80 milhões. No ano passado, o número subiu ainda mais alcançando 3.796 ações judiciais.

A expectativa, segundo a presidente do TJ, é que cada rodada de conciliação leve um prazo de duas horas para resolver cada situação por completo. No primeiro dia de funcionamento, a Câmara realizou sete atendimentos, que na totalidade foram resolvidos rapidamente sem que houvesse a necessidade das demandas serem levadas ao judiciário. “Os primeiros atendimentos já nos mostraram que o nosso pensamento está correto. Os acordos foram firmados sem nenhuma grande complexidade. Este trabalho será de grande importância para desafogarmos o judiciário. Várias demandas que são levadas a ele não precisam ser discutidas por vias judiciais”, afirma a titular do Tribunal de Justiça.

Para ser atendido, o cidadão deve comparecer ao guichê 13 do SAC do Shopping Bela Vista portando o cartão do SUS, documento de identificação civil com foto, CPF, comprovante de residência, receita/ prescrição médica e exames complementares. “O nosso intuito é garantir um acesso facilitado aos serviços e medicamentos para pessoas que se sintam prejudicadas ou limitadas no seu direito de acesso à saúde”, explica o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas Boas.

A unidade constitui um projeto estratégico por atender, simultaneamente, aos interesses da população e às soluções administrativas de grande impacto. A medida, que promove articulações inter e intrassetoriais, funcionará também como um catalisador de dados e indicadores sobre as demandas de saúde, permitindo ainda que sejam adotadas medidas de controle, monitoramento e outras providências. A expectativa é que contribua também para a racionalização e economia ao erário.

Outras publicações

Deputado Nelson Pelegrino cobra coerência da oposição O mesmo PSDB que se arvora a fazer críticas, ao invés de investir no futuro dos trabalhadores, quer abocanhar o Fundo de Previdência de Minas Gerais”...
Deputado Paulo Azi denuncia rombo de R$ 2 bilhões nas contas do governo da Bahia Deputado Paulo Azi critica execução orçamentaria do estado. Planilha apresentada por Paulo Azi apresenta problemas no orçamento do Governo da Bah...
Capacitação para enfermeiros aborda Saúde e Previdência Social em Feira de Santana Com o tema "Serviço Social, Saúde e Previdência", a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizaou, na manhã desta terça-feira (29/05/2012), uma capaci...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br