Repressão policial a manifestação em Brasília gera debate no plenário da Câmara dos Deputados

Manifestação de estudantes, entidades sindicais e índios contra a PEC 55 e Fora Temer na esplanada dos ministérios.

Manifestação de estudantes, entidades sindicais e índios contra a PEC 55 e Fora Temer na esplanada dos ministérios.

A manifestação realizada nesta terça-feira, em Brasília, contra a reforma do ensino médio e o teto dos gastos públicos repercutiu no Plenário da Câmara. Deputados da oposição criticaram a ação da Polícia Militar, que usou bombas de gás para dispersar os manifestantes. Já os governistas destacaram que manifestantes depredaram patrimônio público e, por isso, tiveram de ser contidos.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a Polícia Legislativa atuou para dar o suporte necessário às outras entidades de segurança e impedir danos ao Parlamento. “A situação não é tão simples assim. Do que cabe à Câmara, estamos fazendo tudo para que seja preservada a integridade dos manifestantes, mas, quando há atitudes dos manifestantes, é preciso garantir a ordem pública”, disse.

Vários deputados do PT, do PCdoB e do Psol chegaram a tentar negociar com manifestantes e PM, mas voltaram denunciando abuso por parte dos policiais. “A pessoa que está no carro de som estava suplicando para que a polícia não fizesse o lançamento de bombas contra o carro de som, mas muitas bombas estavam sendo jogadas o tempo inteiro”, disse o deputado Glauber Braga (Psol-RJ).

A deputada Erika Kokay (PT-DF) disse que é preciso garantir o direito à manifestação. “É preciso assegurar a liberdade de manifestação. Nós temos uma das maiores manifestações que esta cidade já viu, povo que veio de todo lugar deste Brasil para se manifestar contra a PEC 55 [PEC 241/16 na Câmara, do Teto dos Gastos Públicos]”, disse.

Ação policial

Outros deputados, no entanto, defenderam a ação policial e criticaram a atitude de manifestantes diante de relatos de carros e prédios vandalizados, caso do deputado Major Olimpio (SD-SP). “Jogaram flechas contra os policiais militares, contra a Polícia Legislativa; coquetel molotov, pedras, bolas de gude; policiais foram machucados. Só tivemos a intervenção e o uso de munição química e, agora, a mobilização de choque, simplesmente, para evitar uma tragédia maior”, disse.

Para o deputado Delegado Edson Moreira (PR-MG), a polícia agiu bem. “É preciso recriminar os baderneiros”, afirmou.

O clima esquentou quando o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líder do governo, acusou os partidos de esquerda de patrocinar os manifestantes que vieram a Brasília, o que gerou protestos desses partidos. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) disse que Perondi foi “irresponsável” na sua acusação.

Outras publicações

Câmara Federal aprova em segundo turno PEC que cria o TRF da Bahia A Câmara dos Deputados aprovou PEC que cria TRF na Bahia. A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (03/04/2013), em segundo turno, a Propo...
Celso de Mello não vê necessidade de prazo para nomeação de ministro no STF Brasília – Após sete meses de espera, a Presidência da República indicou Luiz Fux, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), para integrar o Sup...
Caixa e Polícia Federal fazem parceria no combate a fraudes bancárias Brasília – A Caixa Econômica Federal assinou parceria hoje (04/03/2010) com a Polícia Federal (PF) para dar mais eficácia ao combate às fraudes bancár...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br