Presidência do Senado Federal reage aos privilégios de castas do funcionalismo que sequestram a riqueza nacional e ampliam a desigualdade

Senado Federal reage ao sequestro da ação política do Estado por castas de Poder.

Senado Federal reage ao sequestro da ação política do Estado por castas de Poder.

A sociedade brasileira deixou de ser uma sociedade de classes para se tornar uma sociedade de castas. Parte do funcionalismo público sequestra a renda nacional através de salários incompatíveis com a desigualdade social do país. Em reação ao estado degenerado do controle estatal sobre salários e pagamentos previdenciários, o Senado Federal formou comissão com a finalidade de apurar as assimetrias envolvendo os três Poderes da União.

Em uma atitude típica de casta, a Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) reagiu de forma indevida as correções patológicas nos pagamentos para ativos e inativos da União. Em resposta a reação da entidade, o presidência do Senado Federal emitiu nota na sexta (11/11/2016) reafirmando a necessidade de respeito aos princípios constitucionais e ao interesse público.

Confira a íntegra da nota emitida pelo presidente do Senado Federal

“Em face das recentes manifestações da AJUFE, o presidente do Congresso Nacional vem a público, respeitosamente, reafirmar que o foco exclusivo da Comissão instituída no âmbito do Senado Federal é aferir a correta aplicação do teto remuneratório constitucional nos três Poderes. Não se cuida, portanto, de iniciativa contrária a ninguém individualmente.

O propósito da Comissão é receber contribuições de todos os segmentos interessados para, rapidamente, encontrar uma solução institucional e legal para os excessos encontrados.

Com total transparência, os presidentes dos três Poderes, o chefe do Ministério Público e entidades classistas serão ouvidos sobre os estipêndios exorbitantes auferidos por agentes públicos em todas as esferas de poder.

A iniciativa tem como foco exclusivo o cumprimento da Constituição Federal, aplicável a todos os brasileiros. Neste momento de recessão econômica, desemprego e reforma da previdência, que exige austeridade das contas públicas e o sacrifício de todos, é um acinte à sociedade que alguns privilegiados integrantes de setores do serviço público sejam premiados com ganhos francamente inconstitucionais.

A Comissão já dispõe de um calendário que contemplará todos os setores envolvidos nessa discussão. Importante esclarecer que o Senado Federal, aliás, já expurgou as exorbitâncias e aplica o teto constitucional desde outubro de 2013.

Presidência do Senado Federal

Publicidade

Compartilhe e Comente

Facebook do JGB

Publicações relacionadas

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br