Líder da revolução cubana, Fidel Castro morre aos 90 anos de idade

Fidel Alejandro Castro Ruz (Fidel Castro) foi o líder da revolução cubana. Ele governou a República de Cuba como primeiro-ministro de 1959 a 1976 e como presidente, de 1976 a 2008.

Fidel Alejandro Castro Ruz (Fidel Castro) foi o líder da revolução cubana. Ele governou a República de Cuba como primeiro-ministro de 1959 a 1976 e como presidente, de 1976 a 2008.

O ex-presidente e líder da revolução cubana, Fidel Castro, morreu anos 90 anos de idade, confirmou na madrugada de hoje (26/11/2016) seu irmão e sucessor, Raúl Castro. As informações são da agência Ansa.

Em um anúncio na televisão, Raúl disse que era “com profunda dor” que confirmava a “morte do comandante Fidel Castro Ruz”, falecido às 22h29 de Havana do dia 25 de novembro de 2016.

“Em cumprimento da expressa vontade do companheiro Fidel, seus restos mortais serão cremados”, afirmou Raúl, demonstrando emoção ao ler o breve comunicado.

Fidel Castro foi o herói histórico da esquerda moderna, o homem que mais desafiou os Estados Unidos. Mas, na opinião de líderes de centro-direita, Fidel era um ditador sanguinário e o culpado por isolar a ilha de Cuba por quase 60 anos de todo o mundo.

Conhecido como “Comandante” pelos cubanos, Fidel era personagem de várias histórias e boatos. “Ele não dorme”, “ele não esquece de nada”, “é capaz de te penetrar com o olhar e descobrir quem você é”.

Fidel sempre teve uma saúde de ferro, até quando enfrentou uma hemorragia intestinal durante uma viagem à Argentina aos 80 anos de idade. Em 31 de julho de 2006, os problemas de saúde provocados pelo avanço da idade o fizeram delegar temporariamente o poder a seu irmão Raúl.

Em fevereiro de 2008, Fidel renunciou oficialmente ao cargo de presidente cubano e, desde então, era o principal conselheiro do Partido Comunista e do novo governo.

A era Fidel Castro vem se dissolvendo pouco a pouco, enquanto uma nova Cuba surge devido a uma série de reformas econômicas e da retomada das relações bilaterais com os Estados Unidos, rompidas há mais de meio século.

Fidel assistia a tudo isso de longe, mas não deixava de fazer suas análises em artigos publicados no jornal oficial cubano Granma. A fragilidade da sua saúde já tinha provocado boatos sobre sua morte várias vezes nas redes sociais.

Outras publicações

Síntese do acidente que vitimou a delegação do Chapecoense na Colômbia; 71 morreram e 6 sobreviveram; confira relação de nomes Homenagem do Jornal Grande Bahia em memória das 71 vítimas do acidente aéreo da delegação do Chapecoense. Sobreviventes do acidente do voo 2933, ...
Feira de Santana: prefeito José Ronaldo lamenta morte do padre Paulo Afonso Padre Paulo Afonso Rodrigues atuou na Arquidiocese de Feira de Santana. O prefeito de Feira de Santana, Jose Ronaldo de Carvalho, está se solidariza...
Morre destacado empresário feirense José da Costa Falcão José da Costa Falcão, José Olímpio Mascarenhas, Luís Gomes e Alfredo Falcão. José Falcão exerceu destacado papel no desenvolvimento comercial de Feir...

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.