Deputado Targino Machado critica nomeação de Jaques Wagner para cargo de coordenador executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia

Coordenador Executivo Jaques Wagner e governador Rui Costa, durante posse no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia. Deputado critica participação de Jaques Wagner no governo.

Coordenador Executivo Jaques Wagner e governador Rui Costa, durante posse no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia. Deputado critica participação de Jaques Wagner no governo.

O deputado estadual Targino Machado criticou nesta segunda-feira (21/11/2016), em discurso no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia, a nomeação do ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, para o cargo de coordenador executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia (Codes), estrutura vinculada à Secretaria de Relações Institucionais (Serin) do estado.

De acordo com o parlamentar, o governador da Bahia, Rui Costa, quer enganar a população baiana ao afirmar que Wagner tomou posse sem nenhuma pretensão de se beneficiar com foro privilegiado.

“Em um país onde tudo é possível, em um Estado onde se pode tudo, onde tem-se um governador que quer, de uma vez só, enganar a Assembleia Legislativa da Bahia, enganar a população e enganar todos os baianos, quando ele nomeia o ex-ministro Jaques Wagner para um cargo que não lhe confere foro privilegiado. O governador Rui Costa ainda tem a coragem de declarar a imprensa que Wagner toma posse sem pretensão de foro privilegiado, quando tomamos conhecimento que existe nesta Casa um cheque em branco, assinado pela Assembleia Legislativa da Bahia em outros tempos, que permite ao governador dar a alguns cargos o status de secretaria. Não tenho dúvidas que isso será feito pelo governador Rui Costa para trazer o guarda-chuva que Jaques Wagner precisa para se proteger da lei”, disse.

Ainda segundo o deputado, Jaques Wagner estará hospedado no “hotel” certo, que é o governo da Bahia.

“Infelizmente, neste Estado que pode tudo e quero que essa minha afirmação seja tradutora de minha total indignação. Já dizia ex-governador da Bahia Otávio Mangabeira: conte-me um absurdo e na Bahia tem precedente. Aqui o governador não quer analisar currículo, não quer analisar vida pregressa, porque para ser nomeado para o governo da Bahia, o governo do PT, não precisa de currículo, o que é preciso é prontuário, é folha corrida, e isso o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner tem sobejamente, tem quilômetros de papel gasto com a folha corrida que ele estampa. Ele estará hospedado no lugar certo, no hotel certo, que é no governo da Bahia”.

Confira vídeo

Outras publicações

Walter Pinheiro é empossado como secretário da Educação da Bahia Walter Pinheiro: foi uma honra o convite de assumir essa missão, reconhecendo que esse é um terreno delicado, que lida com a mudança de vida das pess...
Municípios baianos são contemplados pelo governo Wagner com nova estrada e colégio O governador Jaques Wagner descerrou na manhã desta sexta-feira (25/03/2011), em Quixabeira (cidade a 300 quilômetros de Salvador), a placa que marca ...
Academia de Polícia da Bahia forma novos Promotores de Polícia Comunitária Curso de formação de promotores de polícia comunitária. A Polícia Militar da Bahia (PM/BA) forma, nesta sexta-feira (02/09/2016), a 18ª turma do Cur...

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.